Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Fortaleza 2020 - Dados e Estatísticas

Postado por Luca Laprovitera às 08:48:00 quarta-feira, 30 de dezembro de 2020
O ano marcou a estreia do clube em competições internacionais.
(Foto: Juan Mabromata/AFP)

De início promissor à fim em crise com temporada ainda por terminar, 2020 foi um ano atípico de estádios vazios por conta da pandemia do Covid-19 e muita dificuldade.

A exemplo dos últimos anos, 2017 (LEIA AQUI), 2018 (LEIA AQUI) e 2019 (LEIA AQUI), trouxemos todos os atletas que foram relacionados, atuaram e números gerais do Fortaleza, no ano de 2020.


OS MAIORES NÚMEROS
QUEM MAIS JOGOU
Romarinho foi quem mais entrou em campo no ano.
(Foto: Aurelio Alves/O Povo)
1º Romarinho - 49 jogos
2º David - 47 jogos
3º Felipe Alves - 46 jogos
4º Juninho e Osvaldo - 43 jogos
5º Wellington Paulista - 42 jogos

QUEM MAIS DEU ASSISTÊNCIAS
1º Juninho, Romarinho e Tinga - 7 assistências
2º David, Mariano Vázquez e Osvaldo - 4 assistências
3º Éderson, Wellington Paulista e Yuri César - 3 assistências
4º Gabriel Dias e Carlinhos - 2 assistências
5º Bruno Melo, Madson, Nenê Bonilha e Ronald - 1 assistência


Pelo segundo ano seguido, Wellington Paulista é 
o artilheiro. (Foto: Kelly Pereira/AGIF)
QUEM MAIS FEZ GOLS
1º Wellington Paulista - 12 gols
2º David - 10 gols
3º Bruno Melo, Tinga e Yuri César - 5 gols
4º Edson Cariús, Juninho e Osvaldo - 4 gols
5º Romarinho - 3 gols

QUEM MAIS LEVOU AMARELOS
1º Felipe - 16 cartões amarelos
2º Juninho e Paulão - 7 cartões amarelos
3º Gabriel Dias, Jackson, Juan Quintero e Mariano Vázquez - 5 cartões amarelos
4º Carlinhos, David, Derley, Romarinho e Yuri César - 4 cartões amarelos
5º Bruno Melo, Ronald e Osvaldo - 3 cartões amarelos


QUEM FOI EXPULSO
1º Juan Quintero - 3 cartões vermelhos
2º Bruno Melo, Carlinhos, Felipe, Felipe Alves, Gabriel Dias, Juninho e Roger Carvalho  - 1 cartão vermelho

TÉCNICOS
Com saída de Ceni, Chamusca é quem encerra o ano.
(Foto: Fábio Lima/O Povo)

ROGÉRIO CENI (CAMPEONATO CEARENSE, COPA DO NORDESTE, COPA SUL-AMERICANA E CAMPEONATO BRASILEIRO - SÉRIE A)
-42 jogos
-21 vitórias
-11 empates
-10 derrotas
-61 gols feitos
-32 gols sofridos
-29 gols positivos de saldo
-63% de aproveitamento
-2 cartões amarelos

MARCONNE MONTENEGRO (CAMPEONATO BRASILEIRO - SÉRIE A)
-1 jogo
-1 derrota
-1 gol feito
-2 gols sofridos
-1 gols negativos de saldo
-0 de aproveitamento

MARCELO CHAMUSCA (CAMPEONATO BRASILEIRO - SÉRIE A)
-8 jogos
-1 vitória 
-4 empates
-3 derrotas
-6 gols feitos
-9 gols sofridos
-2 gols negativos de saldo
-29% de aproveitamento


OS ATLETAS
Elenco comemora título do Bi-Estadual.
(Foto: Thiago Gadelha/SVM)

GOLEIROS (4)

Felipe Alves - 46 jogos e 1 cartão vermelho
Kennedy - Não jogou
Marcelo Boeck - 1 jogo
Max Walef - 5 jogos e 1 cartão amarelo

LATERAIS-DIREITOS (2)
Gabriel Dias - 36 jogos, 2 gols, 2 assistências, 5 cartões amarelos e 1 cartão vermelho
Tinga - 34 jogos, 5 gols, 7 assistências e 2 cartões amarelos

ZAGUEIROS (6)
Jackson - 25 jogos e 5 cartões amarelos
João Paulo - 1 jogo
Juan Quintero - 22 jogos, 5 cartões amarelos e 3 cartões vermelhos
Paulão - 39 jogos, 1 gol e 7 cartões amarelos
Roger Carvalho - 11 jogos, 1 gol e 1 cartão vermelho
Wanderson - 4 jogos

LATERAIS-ESQUERDOS (2)
Bruno Melo - 35 jogos, 5 gols, 1 assistência, 3 cartões amarelos e 1 cartão vermelho
Carlinhos - 32 jogos, 1 gol, 2 assistências, 4 cartões amarelos e 1 cartão vermelho

VOLANTES (8)
Derley - 14 jogos, 1 gol e 4 cartões amarelos
Felipe - 40 jogos, 1 gol, 16 cartões amarelos e 1 cartão vermelho
Geilson - Não jogou
Juninho - 43 jogos, 4 gols, 7 assistências, 7 cartões amarelos e 1 cartão vermelho
Michel - 6 jogos e 1 cartão amarelo
Nenê Bonilha - 7 jogos, 1 gol, 1 assistência e 1 cartão amarelo
Pablo - Não jogou
Ronald - 22 jogos, 1 assistência e 3 cartões amarelos

MEIAS (5)
João Paulo - 5 jogos e 1 cartão amarelo
Luiz Henrique - 3 jogos
Mariano Vázquez - 28 jogos, 4 assistências e 5 cartões amarelos
Marlon - 33 jogos, 1 gol e 2 cartões amarelos
Samuel - Não jogou

ATACANTES (14)
Bérgson - 11 jogos, 3 gols e 2 cartões amarelos
David - 47 jogos, 10 gols, 4 assistências e 4 cartões amarelos
Éderson - 18 jogos, 2 gols e 3 assistências
Edson Cariús - 17 jogos, 4 gols e 2 cartões amarelos
Franco Fragapane - 10 jogos e 1 cartão amarelo
Gustavo Coutinho - Não jogou
Igor Torres - 2 jogos
Madson - 5 jogos, 1 assistência e 2 cartões amarelos
Osvaldo - 43 jogos, 4 gols, 4 assistências e 3 cartões amarelos
Romarinho - 49 jogos, 3 gols, 7 assistências e 4 cartões amarelos
Tiago Orobó - 8 jogos e 1 gol
Wellington Paulista - 42 jogos, 12 gols, 3 assistências e 1 cartão amarelo
Wendew - Não jogou
Yuri César - 34 jogos, 5 gols, 3 assistências e 4 cartões amarelos


O CLUBE
Arquibancadas cheias, ficaram assim por conta da pandemia.
(Foto: Divulgação/Redes Sociais)
-51 jogos
-22 vitórias
-15 empates
-14 derrotas
-68 gols feitos
-43 gols sofridos
-25 gols positivos de saldo
-52% de aproveitamento
-48 assistências
-20 jogadores diferentes marcaram gols
-8 gols de bola parada
-7 gols de pênalti 
-1 gol de falta 
-3 jogadores fizeram gol de bola parada
-3 jogadores marcaram gol de pênalti
-1 jogador marcou gol de falta
-1 jogador marcou gol de falta e de pênalti
-15 jogadores diferentes deram assistências
-26 jogadores diferentes levaram cartão amarelo
-8 jogadores diferentes levaram cartão vermelho
-6 jogadores que entraram em campo não levaram cartão
-41 jogadores utilizados
-35 jogadores entraram em campo
-3 técnicos

GOLS DE PÊNALTI
1º Juninho - 3 (vs. Independiente-ARG - 1, vs. Flamengo-RJ - 1 e vs. Red Bull Bragantino-SP - 1) e Wellington Paulista - 3  (vs. Santa Cruz-PE - 2 e vs. Sport Recife-PE - 1)
2º Ederson - 1 (vs. América-RN - 1)

GOL DE FALTA
1º  Juninho - 1 gol  (vs. Guarany de Sobral - 1)

GOL CONTRA A FAVOR
1º Renan Dutra - 1 gol (Imperatriz-MA) 

GOLS CONTRA
1º Carlinhos (vs. Red Bull Bragantino-SP) e  Juan Quintero (vs. Ferroviário) - 1

PÊNALTIS PERDIDOS
1º Gabriel Dias (vs. São Paulo-SP) e Wellington Paulista (vs. Barbalha) - 1

COMPETIÇÕES
Campeonato Cearense: Finalista/Campeão
Copa do Nordeste: Semifinalista/3º lugar
Copa do Brasil: Oitavas-de-Final/12º Lugar (Em andamento)
Copa Sul-Americana: Primeira Fase/34º Lugar (Em andamento)
Campeonato Brasileiro - Série A: 14º Lugar (Em disputa)


Por Luca Laprovitera 

segunda-feira, 20 de julho de 2020

Ceni minimiza irritação e fala sobre reforços no Fortaleza: "No mínimo duas peças"

Postado por BORA LEÃO às 10:49:00 segunda-feira, 20 de julho de 2020
O técnico reclamou bastante dos erros do ataque e mandou "recados" para os atacantes, especialmente Romarinho. Segundo o treinador, a cobrança é comum em todos os jogos, e ficou mais perceptível por causa das partidas sem torcida.

quarta-feira, 15 de julho de 2020

Foto: FCO Fontenele
Em tempos de pandemia do novo coronavírus, quando as receitas dos clubes de futebol diminuem, conseguir parcerias e patrocínios é fundamental para a saúde financeira das equipes, que buscam equilibrar as contas até o final dessa situação de exceção. Nesse contexto, na tarde desta terça-feira, 14, o Fortaleza apresentou sua nova parceria com a Brisanet, empresa provedora de internet, que estampou sua marca nas costas da camisa tricolor nesta segunda-feira, 13, na partida diante do Guarany de Sobral. A apresentação teve a presença remota do presidente do Leão, Marcelo Paz, e do sócio diretor da Brisanet, Jordão Estevam.

terça-feira, 14 de julho de 2020

Na retomada do futebol, Rogério Ceni se torna o quarto técnico com mais jogos pelo Fortaleza

Postado por BORA LEÃO às 15:45:00 terça-feira, 14 de julho de 2020
Foto: Fabio Lima
Treinador superou Cesar Morais e está perto de entrar no pódio de treinadores da história do Leão.
Foto: Lucas Figueiredo
Competição começa no fim de semana de 8 e 9 de agosto, após adiamento por conta da pandemia, e terá maratona de jogos no primeiro mês.
Foto: TV Leão

.

domingo, 1 de março de 2020

Saldo do dia: testes, estreia de Madson e vitória convincente

Postado por Paulo Rodrigo às 20:35:00 domingo, 1 de março de 2020
Foto: Leonardo Moreira/Fortaleza EC


No Estádio Presidente Vargas, pela 5ª rodada do Campeonato Cearense, o Fortaleza recebeu o Barbalha em partida interessante, onde o técnico Rogério Ceni pôde testar jogadores (atacante Madson estreou) e dar uma pequena folga aos que atuaram na última quinta-feira, 27, contra o Independiente.

Os visitantes até assustaram ao abrir o placar logo aos 6 minutos de jogo, mas o Fortaleza teve paciência e frieza para virar a partida e sair vitorioso. Do início ao fim do confronto, foi o Tricolor quem tomou conta das ações. Inclusive, era o que o Leão fazia na jogada que acabou por gerar o gol adversário, que veio após bola perdida por Nenê Bonilha.

A virada veio ainda no primeiro tempo, com Wellington Paulista e Carlinhos. O Barbalha voltou a incomodar e empatou logo na volta para a segunda etapa, mas Tinga e Nenê Bonilha botaram o Fortaleza na frente de novo, fechando a conta. 4 a 2.

A falta de entrosamento pesou

A estratégia do Barbalha era clara: jogar no erro do adversário e explorar contra-ataques. Não que o Fortaleza tenha dado muita liberdade pra isso. Pelo contrário: a equipe de Ceni rondava todo o campo de defesa da Raposa, mas pecava na tomada de decisões. Muito disso se deve ao fato de o treinador Tricolor ter optado por um time misto, visando oportunizar outros jogadores e poupar “titulares”.

As primeiras impressões sobre Madson

Contratação mais recente, o jovem atacante de 20 anos, oriundo da base corinthiana, conta com os atributos básicos que o torcedor clamava: velocidade e ousadia. Dos outros mais que foram possíveis observar “de cara”, Madson é insistente em suas jogadas; briga até o fim. De “negativo”, apenas a necessidade de amadurecimento na hora de definir jogadas, seja para gols ou passes. O aprendizado, nesse caso, tende a ser natural.

Dúvidas e progressos

Em matéria ofensiva, a equipe segue agradando. Gols e jogadas inteligentes têm saído. Ingredientes principais para julgar um bom sistema de ataque. A defesa, porém, segue em evolução lenta. Há momentos de muita identificação e firmeza entre a dupla de zaga formada por Paulão e Quintero; outros de confusões e falhas bobas que, por muitas vezes, tiram suspiros do torcedor. Outras peças estão à disposição e em busca de uma oportunidade de mostrar serviço. Contra os argentinos, por exemplo, Jackson deu sinais de que está mais do que na briga. Mesmo sem ritmo de jogo, fez uma partida segura e regular.

Agora vice-colocado, o Fortaleza volta a campo na próxima quarta-feira, 4, às 21h30, para o Clássico das Cores diante do Ferroviário. Uma vitória pode significar a liderança para o Leão, que tem dois jogos a menos que o atual líder, Guarany de Sobral.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

As boas certezas em meio ao lamento

Postado por Paulo Rodrigo às 20:43:00 sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020
Foto: Leonardo Moreira

A eliminação na Copa Sul-Americana frente ao Independiente-ARG ontem, 27, numa Arena Castelão agitada por mais de 52 mil vozes, foi e continuará indigesta por algum tempo. Mas se dá pra tirar algo bom de situações ruins, o torcedor do Fortaleza têm possibilidades de sobra. Afinal, nem o Tricolor mais otimista sonhava – antes da primeira partida – no equilíbrio técnico dos dois confrontos e, sendo mais ousado, na superioridade Leonina em boa parte dos 180 minutos. E mais…

Quem lembra dos reforços?

Antes do início do torneio, o anseio da massa Tricolor era por reforços: “Precisamos de um zagueiro”, “Cadê o meia?”, “... E o centroavante?”. Pedido natural, tendo em vista a movimentação do mercado cearense à época. Sem pressa, o presidente Marcelo Paz teve bom jogo de cintura para efetivar a contratação de peças pontuais – atualmente seis – e só. Nada de “empolgação”, apenas profissionalismo.

Em meio a incerteza, veio a prova de fogo. A base do grupo de 2019 foi testada e aprovada, diante de um tal clube argentino que é nada menos que o maior vencedor da Taça Libertadores da América; outras duas vezes campeão sulamericano. A verdade é que o Fortaleza já possui um plantel e não precisa de outro. Dois ou três reforços mais? Talvez. Mas nada que se compare às reformulações dos anos anteriores.

Moral elevada

Em diversos torneios, o que se espera de um “estreante” é uma participação meramente festiva. Com o Fortaleza, não era diferente. O torcedor sonha; o clube projeta; mas se não der, está tudo bem. O adeus à Sula, competitivo da forma que foi, ofereceu um motivo a mais para a instituição e seus jogadores seguirem brigando por conquistas maiores. A graça do futebol é essa: quebrar fronteiras e conquistar espaço; é descobrir o novo, pois da próxima vez “dá sim!”.

O ano só começou

Aos mais abatidos pela negativa da última noite, vale a lembrança: o Fortaleza precisa seguir valente nas quatro competições restantes na temporada. De 100%, ainda lhe resta 80%. Logo, a sinergia clube-torcida deve e precisa permanecer viva para maratonas de jogos; pontos corridos e eliminatórias; vitórias e derrotas. Nem todo ponto é final. Só indica o início de outra parte da história.