Coluna do Kataóka - Semana de decepções e expectativas ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

domingo, 10 de março de 2013

Coluna do Kataóka - Semana de decepções e expectativas

Postado por Unknown às 20:40:00 domingo, 10 de março de 2013

Semana de decepções e expectativas

A dura missão de Hélio dos Anjos

Hélio dos Anjos assumiu o Fortaleza em um uma situação extremamente tensa, em um cenário bem diferente das suas outras passagens pelo tricolor.

Antes de tudo, para não ficar encima do muro devo admitir que aprovei a volta de Hélio, caso o mesmo permaneça até o final da série C ou a sua multa de recisão for alta.

Parece que tamanha pressão da torcida surtiu efeito, com a contratação de um treinador top de linha para uma disputa de séries B e C.

Todavia, essa também é uma contratação de risco, pois essa aposta da diretoria tem 2 aspectos, o Hélio dentro e fora de campo.


Polêmicas de Hélio dos Anjos fora de Campo

O maior medo da torcida em relação à contratação de Hélio é certamente o extra campo.

Hélio está envolvido em duas grandes polêmicas.

A 1ª foi uma reportagem da revista veja no final de 2011, que afirmava:

“Hélio dos Anjos é investigado por lavagem de dinheiro e sonegação”

O técnico do Atlético-GO, Hélio dos Anjos, está sendo investigado pela polícia civil por supostas irregularidades em uma sociedade feita com outras pessoas ligadas ao futebol, que configurariam lavagem de dinheiro e sonegação de impostos. O treinador compareceu na última terça-feira à delegacia para prestar depoimento e disse estar tranquilo com relação à sua inocência.


Uma denúncia anônima revelou à polícia uma sociedade entre Hélio dos Anjos e os empresários Omar Vasconcelos e Daniel Reis. Entretanto, o nome do técnico não aparece no contrato social da empresa, o que poderia indicar o recebimento de dinheiro não declarado do exterior.



Ao lado do comandante do Dragão, nomes como os dos jogadores Fabão, Josué e Zé Carlos, e do médico do Goiás, Marcelo Almeida, também são investigados. A polícia acredita que este esquema poderia ter começado quando o treinador assumiu a seleção da Arábia Saudita, entre 2007 e 2008, e o clube Al-Nasr, do mesmo país, em 2010.”



Já no começo de 2012, o treinador e seu sócio, o empresário Omar Vasconcelos, investigados por diversos crimes, entre eles lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, tentaram tirar do ar o blog do jornalista Cleuber Carlos, de Goiás. Tiveram seu pedido negado, recorreram e perderam novamente, segundo apurou o blog do Paulinho.


Todavia, não sei se ele provou sua inocência e a acusação foi esclarecida, mas o que eu sei, e posso afirmar com toda certeza, é que realmente procede a preocupação da torcida quanto a um certo receio de que a qualquer hora Hélio possa abandonar o Fortaleza.

Quem diz isso não sou eu, e sim os próprios números do treinador.

A lista abaixo mostra a trajetória de Hélio de 2001 pra cá, então veja e tire as suas próprias conclusões:

2001: Juventude
2001: Guarani
2001: Vasco da Gama
2001-2002: Goiás
2002: Gama
2003-2004: Sport
2004: Fortaleza
2004: Vitória
2004-2005: Bahia
2005: Fortaleza
2005-2006: Juventude
2006: Fortaleza
2006: São Caetano
2006-2007: Náutico
2007-2008: Seleção da Arábia Saudita
2008-2010: Goiás
2010: Al-Nasr 
2011: Vila Nova-GO
2011: Sport-PE
2011: Vila Nova-GO
2011-2012: Atlético-GO
2012: Figueirense

Inclusive, em uma de suas vitoriosas passagens pelo Fortaleza, ele recebeu uma placa da diretoria, e sem cerimônia, saiu do clube pouco tempo depois, seduzido por uma proposta mais vantajosa financeiramente.
Quem não lembra desse folclórico episódio?

E falando em placas, vou pegar o gancho de algo que vi o Addler Pinheiro comentando, e que me deixou horrizado...

As placas e personalidades homenageadas pelo Fortaleza

Incrível como várias pessoas sem merecimento algum recebem homenagens pela diretoria do Fortaleza, enquanto verdadeiros abnegados e/ou torcedores são os verdadeiros merecedores e dificilmente receberiam tal homenagem.

A placa dada ao Bismarck foi um tapa na cara da torcida tricolor, bem pior do que a de Hélio dos Anjos.
Bismark pode ter sido o jogador que mais participou dos campeonatos conquistados no tetra (dar a César o que é de César), mas depois do que ele falou após a partida contra o campinense, nunca mais deveria pisar no pici.
Assim como o Fortaleza manteve a sua dignidade ao não aceitar a volta de Clodoaldo, deve tomar a mesma atitude para com o ingrato Bismarck.

Não vou nem escrever o que esse coitado falou após a partida.

Por causa dele, não só eu como vários tricolores irão torcer para o Asa ser campeão.
Campeão de um campeonato que tínhamos tudo para conquistar (deixarei para comentar sobre isso no final da coluna).

Hélio dos Anjos dentro de Campo

Dentro de campo, pelo menos para uma disputa de série C é incontestável que Hélio foi uma aposta ousada e ambiciosa da diretoria.

A mesma não deve ter sido amadora e acredito que fechou o contrato com uma elevada multa rescisória
.
Seguem abaixo alguns títulos conquistados por Hélio, ao longo de uma carreira de mais de 20 anos como treinador:


Campeonato Paulista (2° divisão): 1994 e 1995;
Campeonato Paraense: 1995;
Campeonato Pernambucano: 1996, 1997 e 2003;
Campeonato Brasileiro (Série B): 1999;
Campeonato Goiano: 1999, 2000 e 2009;
Copa Centro-Oeste: 2000;
Suas estatísticas com o tricolor:

Fortaleza (2004; 2005; 2006)
Nº de Jogos:    53
Nº de Vitórias: 22
Nº de Derrotas: 17
Nº de Empates: 14

Polêmicas a parte, Hélio é um treinador de qualidade com vasta experiência, e por mim, subindo para a série B a diretoria deveria aumentar seu salário e renovar para o ano que vem, dando ao mesmo a missão de estragar o centenário do Kanal.

O Hélio assume o Fortaleza cheio de moral, e acredito que além de forçar a diretoria a fazer contratações decentes, ele também terá uma atitude bem diferente da de Vica.

A covardia de Vica contribuiu para perdemos o campeonato

Dificilmente o Fortaleza encontrará outro cenário no campeonato do Nordeste como foi o desse ano.
O Náutico não se classificou.

Sport,Bahia e Vitória, que pertencem ao clube dos 13 e tem mais recursos financeiros para investir no plantel vacilaram.

A diretoria pode não ter montado um elenco para ser campeão, mas como tivemos sorte contra os adversários mais perigosos, na condição que estávamos, disputando as semifinais, tínhamos a faca e o queijo na mão para sermos campeões.

O único time na semifinal que tinha um elenco melhor que o nosso era o Kanal, que saiu depois de (mais) um vexame em casa.

O Fortaleza tinha time para eliminar o Campinense, tanto é que após levar o gol, deu um sufoco ao time rubro-negro, mostrando que era só apertar a saída de bola adversária que eles se complicavam.

Para o Fortaleza, tanto fazia levar outro gol ou não, pois ele precisava fazer o seu, mas Vica covardemente demorou a mexer no time, e quando o fez, ainda fez errado.

Aquele time ter voltado com a mesma escalação no 2º tempo foi um pedido de Vica para ser demitido.
Não vou nem comentar a partida com mais profundidade porque Vica já foi embora. Admiro muito o trabalho dele na série C ano passado, mas essas duas amareladas do time, contra Oeste e Campinense, foram à gota dágua.
Finalizando, com essa atitude dificilmente algum dia o Vica irá treinar um time de série A, como Hélio fez na maioria dos clubes que treinou.

Essa é a diferença entre os dois treinadores.

Futebol Cearense: Velho e Medíocre

Para mostrar que a rivalidade deve ser sadia, vou publicar um interessante artigo feito por um torcedor do Kanal, Davi Bulcão, que define bem a vergonha que foi essa reta final do campeonato do Nordeste para os times cearenses:

“Certa vez, ouvi um conhecido dirigente do Fortaleza vangloriando-se, numa roda futebolística, do fato do clube ter sido o primeiro a vencer um grande carioca no Maracanã, fato que foi repetido pelo Ceará alguns anos depois, em 2009. peguei este pensamento e ponderei sobre a pequenez do futebol local.

Pegando este gancho, já vi muita coisa no futebol. De tudo mesmo. Mas a maldição e a vocação para a mediocridade do futebol cearense é realmente inesgotável. Ontem, foi uma prova inequívoca do que estou dizendo.

Não falo de questões monetárias. Não sou ingênuo para não dizer que futebol hoje em dia se faz com grana no bolso e bons contratos. Porém, o que tem o futebol cearense para contar ao longo de sua quase Centenária História? Dois vices na finada Taça Brasil, um vice na Copa do Brasil, duas semifinais de Copa do Brasil, dois vices na Série B, duas Copas Norte-Nordeste. E só. Nada de beliscar um título nacional de primeira classe, como já fizeram os Baianos, paraenses e pernambucanos. Aliás, nada de beliscar um título nacional de segunda ou até terceira classe. Foi preciso criar uma Série D para que os cearenses pudessem fazer uma farra e se lambuzar com um título nacional, quase um século depois de sua criação e quando estados que nos dizemos superiores já tinham seu título há muito tempo.


Mas há duas semanas eu falava de um momento histórico. Dois times cearenses fazendo as semifinais do Nordestão, com chances claríssimas de fazer uma final. E foi histórico mesmo. Não do jeito que eu imaginava. Eu podia imaginar que os dois passariam e fariam dois clássicos rei na final do Nordestão. Poderia imaginar que um dos dois chegaria, porque embora os dois fossem favoritos e superiores historica e momentaneamente aos seus rivais, zebras são possíveis. Mas do jeito que foi... Foi Histórico. Uma vergonha histórica. Toda uma História de mediocridade e vocação de perdedor foi invocada ontem. Eu, como torcedor do Ceará, consegui não só ter a vergonha de não ver o Ceará passar, como até senti vergonha de não ver o Fortaleza passar.

Mas vocação para mediocridade não se conquista da noite para o dia. É uma coisa que tem que ser trabalhada, conquistada por anos e anos, e se incorpora no DNA até daqueles que nunca pisaram anteriormente por aqui. Parece que os jogadores e treinadores que passam por aqui a adquirem assim que desembarcam pelo Aeroporto e seguem para as sedes dos clubes. Ontem, o Futebol Cearense brindou desse cálice que vem bebendo há tantos e tantos anos, e que parece que o beberá por toda uma eternidade, sem se lambuzar aqui ou ali com um título de vergonha.

É isso aí. Parabéns a ASA e Campinense. Graças à pequenez e mediocridade do nosso futebol, farão certamente a final mais bizarra da História do Nordestão e um deles conseguirá uma estrela que não é conquistada por essas bandas há quase 45 anos. 

E nós ainda podemos nos vangloriar de nossos diminutos feitos, como vencer (finalmente!) no Maracanã após mais de 50 anos de História do Estádio. Quem sabe vençamos de novo nos próximos 50, para comemorar tal conquista...”