A importância do Fortaleza e Vila Nova ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

A importância do Fortaleza e Vila Nova

Postado por Luca Laprovitera às 11:00:00 quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Como torcedores queremos sempre que o Fortaleza vença, e se fosse pela nossa escolha, o tricolor venceria os 18 jogos dessa fase e os outros seis que tem pela frente até o título da Série C. A nossa campanha até agora é irrepreensível, foram 7 vitórias em 10 partidas, apenas uma derrota pelo placar mínimo e com a nossa equipe jogando melhor, mas será contra o Vila Nova no Serra Dourada, sábado (08), que teremos nosso maior desafio até então na campanha rumo a Série B em 2016. 


VILA NOVA
Rebaixado no Campeonato Goiano e na Série B em 2014, para essa temporada a equipe foi reformulada. Conhecido, mas sem deixar nenhuma saudade da nossa torcida, o Vila é comandado por Márcio Fernandes que quando esteve conosco em 2009, pegou nosso time em 17º lugar na Série B, largou na lanterna e somou apenas uma vitória e um empate em sete partidas. Outro conhecido é o lateral-esquerdo Marinho Donizete, o time ainda conta com o argentino-brasileiro Carlos Frontini, maior artilheiro da equipe na temporada e o principal perigo do time, Frontini comandou o time ao título da Segunda Divisão Goiana marcando 14 gols e sendo artilheiro da competição. Na Série C, ele já marcou 5 gols, quatro atrás do artilheiro Leandrão do Brasil de Pelotas, mas entre os jogadores do grupo A, divide a artilharia com Flamel do Águia de Marabá. O Vila Nova é o atual vice-líder e uma vitória por dois gols de diferença da equipe goiana nos tiraria da liderança. Em Goiânia, a campanha é boa, foram cinco partidas, quatro vitórias e uma única derrota para o América de Natal, marcando oito gols e sofrendo apenas o gol da derrota contra o Mequinha. 



QUAL IMPORTÂNCIA DESSE JOGO?
O Vila Nova tem a segunda melhor campanha e fez jogo complicado conosco dentro do Castelão na 2ª rodada da Série C. Forte dentro de casa, a equipe goiano é tradicional e possui junto com o nosso, o melhor time do Grupo A. Do outro lado, no Grupo B, times fortes e tradicionais como Brasil de Pelotas, Londrina, Portuguesa, Guarani e Juventude lutam a tapas pela vaga, além do Tupi, "patinho feio", mais do que um trauma para nosso clube depois do Oeste em 2012 e Macaé em 2014. Qualquer confronto que venha do outro grupo em caso de classificação será difícil para a nossa equipe. 

Eis que surge a vital importância desse jogo. Em 2015, tivemos três partidas decisivas e em duas falhamos. A primeira foi nas quartas-de-final do Nordestão, caímos para o Sport que hoje está na zona da Libertadores na Série A. Além de perdermos apenas nas penalidades, podendo ter ganho a vaga se o Lúcio Maranhão tivesse marcado o pênalti aqui em Fortaleza ou Deola não falhasse, mas, não passamos, porque o futebol não se faz de 'ses'. Depois a final do Cearense, fomos bem até a falha dele, Deola, mas vale lembrar que quando o nosso rival virou o jogo, estávamos com um a mais. Porém, graças a Daniel Frasson, Cassiano estava no lugar certo e na hora certa, dessa vez deu certo! 

O último foi contra o Coritiba pela Copa do Brasil. Vencemos e bem aqui em Fortaleza, 2x1 não condisse com o que foi o jogo. Em Curitiba, quer adivinhar? Deola falhou de novo e não só no tempo normal dessa vez. Na decisão de pênaltis, ele além de não ter chegado perto de pegar algum dos pênaltis, ainda desperdiçou a sua derradeira cobrança, 11x10 e nunca mais ele sentou sequer no banco do Leão. Meses depois ainda viu com honra (?) Gonzalo Higuaín homenageando seu feito na final da Copa América contra o Chile, argentinos e tricolores sabem o sentimento. 

Com o time esfacelado, sem nosso goleiro titular, sem nenhum lateral-direito de ofício e sem nosso principal jogador, é hora de mostrar que o elenco tem opções e que a equipe tem variação de jogo, provar que as ausências de Ricardo Berna, Tinga e Corrêa não possam ser tão sentidas. Podemos nem vencer, mas uma boa atuação e pontos em Goiânia serão vitais para a auto-estima do time e da torcida perante o resto do torneio, para que os erros de Águia em 2010, de Oeste em 2012, de Sampaio Correia em 2013, de Macaé em 2014, além de Sport e Coritiba esse ano tenham sido aprendidos, e que a final do estadual não tenha sido um acidente e sim uma volta por cima e lição, para termos mais cenas como essa:

Por Luca Laprovitera