Clodoaldo - Um talento perdido ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

domingo, 30 de agosto de 2015

Clodoaldo - Um talento perdido

Postado por Luca Laprovitera às 14:16:00 domingo, 30 de agosto de 2015

Como o Domingo normalmente é fraco de notícias sobre o nosso Fortaleza, resolvi compartilhar aqui no Bora Leão uma coluna antiga minha, escrita a alguns meses o Portal Opinião Sport Club sobre Clodoaldo, confiram: 

Ídolo de infância, o "baixinho" foi um dos primeiros grandes jogadores que eu vi no Fortaleza. Principal jogador do título estadual em 2000, depois de oito anos sem títulos, foi herói mesmo sem jogar a grande final. Fez parte da grande "Jangada Atômica" do ano seguinte, levando o Fortaleza as semifinais do Nordestão, as quartas-de-final da Copa do Brasil e ao título 'arrastão' (vencendo todos os turnos) do Campeonato Cearense. Em 2002, foi junto com Vinícius, Finazzi e Juninho Cearense, responsável por levar o Fortaleza de volta a Primeira Divisão depois de dez anos. 

No jogo que praticamente garantiu o acesso, contra o Paulista em Jundiaí na semifinal, marcou três dos seis gols e ainda dando uma assistência. Era divertido cantar seu rap, era lindo comemorar seu gols, foi triste ver o que aconteceu com ele, mas infelizmente, só colheu o que plantou. Deu as costas a torcida e ao time que o acolheram, preferiu focar no extra-campo do que no talento e mais um talento que morreu antes mesmo de desabrochar, que vocês podem conferir no vídeo feito por Domingos Monteiro, em 2007:



Salvo (e bem salvo mesmo) as devidas proporções, o jogo de Clodoaldo se assemelhava ao de Messi. Rápido, habilidoso, matador, dono de uma canhota mortal. Revelado em 1999 pelo Fortaleza, jogou com regularidade até o Campeonato Cearense de 2003 pelo tricolor, foi até ali bi-campeão cearense e vice-campeão da Série B. Nesse período de quatro anos, marcou 117 dos 126 gols que fez pelo Fortaleza, sendo duas vezes artilheiro do Campeonato Cearense.


Rodou por União São João de Araras e Vitória antes do sucesso, passou um tempo no Beira-Mar de Portugal, mas foi a partir de 2004 que ele peregrinou. Campinense-PB, Ituano-SP, Ceará, Potiguar-RN, Icasa-CE, Guarany-CE, Juazeirense-BA, Ríver-PI, Fluminense-BA, Horizonte-CE, Goytacaz-RJ, Quixadá-CE e por último, reserva do Nova Russas da Segunda Divisão Cearense aos 36 anos. Depois de sair do Fortaleza em 2004, voltou ao tricolor para ser o herói do título cearense em 2005, foi campeão cearense mais duas vezes, sem brilho, em 2006 e 2011 pelo Ceará.


Clodoaldo teve Marlene Mattos como empresária, era ídolo do Fortaleza na maior fase de sua história, era jovem e sonho de grandes clubes. Mas seu extra-campo era conturbado e o impediu de virar o grande jogador que prometia. Talvez não tivesse dado em nada, mas pela bola jogada por aqui, se repetida fora, era fácil um jogador de Série A. Em terras onde jogadores do Campeonato Chinês vão para a Seleção, quem sabe se tivesse sido responsável, Clodoaldo também não teria ido algum dia?


Por Luca Laprovitera