Um empate com gosto de derrota para todos ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

sábado, 8 de agosto de 2015

Um empate com gosto de derrota para todos

Postado por Luca Laprovitera às 19:06:00 sábado, 8 de agosto de 2015
 
Foto: Bruno Gomes/Diário do Nordeste
Todos esperavam um jogo difícil entre Fortaleza e Vila Nova. Duas melhores equipes do Grupo A, líder e vice-líder se enfrentaram no Estádio Serra Dourada em Goiânia e ao fim dos 90 minutos ninguém saiu satisfeito. Com dois times bastante desfalcados, as duas equipes falharam em seus testes, o nosso Leão em mostrar um jogo competente contra um adversário forte fora de casa e com desfalques, o Vila contra um time de força parecida e também desfalcado, mas no fim, um 0x0 que teve gosto ruim para ambos os lados.

O Fortaleza veio a campo desfalcado de Corrêa, nosso principal jogador, o meio-campista fez uma falta tremenda, a escolha de Dudu Cearense não agradou a torcida e nem em campo, queimando ainda mais o atleta com a massa tricolor. Outra ausência sentida foi a Tinga, Auremir mostrou que defensivamente é bastante competente, mas em uma marcação mais forte compromete demais no ataque, o suficiente para expor nosso sistema defensivo, tomou uma aula de futebol do experiência Marinho Donizete. Já Ricardo Berna não fez a menor falta, Erivelton mais uma vez foi seguro, melhor jogador em campo, o que evidência dois lados opostos para o jogo. O primeiro é que temos um bom goleiro, por mim e outros vários tricolores, o jovem seria titular, o lado ruim é que em um jogo como hoje, nosso guardador de meta sendo o melhor em campo preocupa muito. 

Do lado goiano, a dupla de zaga titular estava fora. Sem Gustavo contundido e Vinícius Simon suspenso, a dupla Igor e Vítor foi muito bem, colocou no bolso nosso setor ofensivo. No ataque, Moisés e Frontini foram ausência bastante sentidas o que nos faz abrir o olho, sofremos pressão do Vila Nova sem os dois principais jogadores e goleadores, sorte nossa que estamos próximos da classificação matemática com esse empate, precisando de mais duas vitórias em sete jogos para nos garantirmos nas quartas-de-final.

Na quarta-feira, comentei em uma crônica aqui no site (leia aqui) que o Fortaleza entraria em campo esfacelado. Recebi muitas críticas, mas foi exatamente como o time estava hoje. Sem seu jogador, Chamusca queimou Dudu Cearense ao escalá-lo mais atrás, sem o físico ou velocidade necessários, ficou bastante aquém, Auremir ficou perdido pela direita, Pio e Maranhão que tiveram uma queda de rendimento nas últimas partidas foram mais uma vez abaixo da média e Lúcio Maranhão manteve seu rendimento, sendo fraco como centroavante isolado, facilmente anulado pela dupla de zaga goiana. Já Daniel Sobralense, na falta de com quem jogar, foi esporádico, teve seus bons momentos e em outros quando era vital para o time, sumia. Everton claramente sem ritmo pouco mudou, já Thiago Azulão entrou bem e deu novo fôlego depois do 30 do segundo tempo e Ricardo Jesus mostrou em um momento que pode ser nosso homem gol, falta só o importante, o gol. Chamusca foi teimoso e esperamos que tenha entendido o recado com o empate de hoje. 

Por Luca Laprovitera