Últimos momentos de espera ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

domingo, 4 de outubro de 2015

Últimos momentos de espera

Postado por Luca Laprovitera às 12:21:00 domingo, 4 de outubro de 2015

Nunca me esqueço de ver Uruguai e Costa Rica entrando em campo no Castelão durante a Copa do Mundo do ano passado. Por anos sonhei em ver e trabalhar na Copa, realizando esse sonho no estádio no qual cresci, quando via a cerimônia de entrada, não segurei as lágrimas. Hoje é domingo, para a maioria, começa a semana, a mais importante do ano. Vamos trabalhar, estudar, dormir, conversar com os amigos, com a mesma coisa na cabeça, sábado começa a grande decisão, como diria Galvão Bueno "um jogo de 180 minutos". A cada momento do meu dia, eu me penso e me imagino como aquela câmera típica da Copa, que filma os jogadores por trás, anunciando um grande jogo, daqueles que ficarão na história e me sinto fazendo parte disso.

Para o universo futebolístico representamos pouco, para a minha vida, o Fortaleza é tudo. Igual a mim, são milhares, se duvidar milhões, somos gigantes da nossa própria maneira. Talvez não em ter jogadores que mudaram a história do futebol ou em cifras milionários, mas em representar o orgulho de um povo, uma paixão sem limites, que não está relacionada aos títulos nacionais, continentais e mundias de outros, e sim de uma paixão que vai muito além do gramado, disputas com nossos rivais e irmãos, daquele egoísmo, que o mundo não vai muito além do Castelão ou do PV. Para mim não importam Pelé, Messi, Platini ou Maradona, nenhum deles terá a importância de Frasson, Angelim ou Cassiano, ser Fortaleza, é saber que ele é seu mundo.

Agora serão seis dias até às 16 horas do Sábado, vou entrar em campo com aqueles jogadores e vou gritar, xingar e vibrar como se eles pudessem me ouvir pela TV. Falta tanto, mas falta pouco, existe um choro preso na minha garganta que sei que só irá embora no dia 17, e dia 10 é só o começo. Estou nervoso, mas mantenho a calma, ou pelo menos a demonstro assim, sinto no fundo do peito, malditos cambistas que tentam privar amigos tricolores de sentir o mesmo que eu na Arena. Agora sim, o momento está chegando, mais perto do que longe, dos dias, horas, minutos e segundos mais longos de nossas vidas, onde tudo parece passar lentamente, onde expressões e frases parece que nunca vão acabar, por que o êxtase da partida já está se concentrando, e às 17:45 ou 17:50, por essas horas de sábado, quando a primeira partida acabar, começa tudo de novo, agora para esperarmos mais sete dias.

Por Luca Laprovitera