Flávio, esse esquema não dá! ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Flávio, esse esquema não dá!

Postado por Luca Laprovitera às 12:30:00 quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Esse foi o time que entrou em campo ontem à noite. O esquema tático conhecido como diamante ou losango, um 4-3-1-2 defensivo ou um 4-4-2 ofensivo, no sentido literal, o 4-1-2-1-2, o certo é, que no Fortaleza ele não deu certo. Primeiro, falta força física nas pontas, os dois jogadores ficam bem centralizados e o meio fica muito aberto porque mesmo sem um marcador nato, já que o esquema pode ter essa opção, falta vigor para recompor em grande parte. Outro grande problema é a falta de velocidade e o meia-central (Elias) muito avançado, não dando espaço para os dois box-to-box (Pio e Éverton) subirem. Os atacantes jogam muito abertos e centralizam de forma falha, afinal o meia-central muito avançado prende a dupla de zaga, dificultando o avanço pelo centro.

Essa foi a Juventus que jogou a final da UEFA Champions League em Junho do ano passado. O esquema era o mesmo, mas existiam muitas diferenças. O quarteto de defesa pouco subia e quando subia, algum dos jogadores que fazia box-to-box fechava por trás. A Juventus jogou assim em grande parte da temporada, os pontas tinham força física, iam a frente, voltavam e marcavam, o central (Vidal) muitas vezes voltava para jogar com o regente (Pirlo), abrindo espaço para os atacantes e para os dois pontas, que podiam tabelar. 


Outro problema é a marcação. Observe que ela é feita de forma individual, cada um marca o seu, ou seja, em caso de inversão de jogo, o outro lado fica aberto e exposto, já que a parte recua em forma errada de se fazer uma marcação. Como já falamos acima, falta força física para o time atacar e defender com a mesma qualidade, deixando sempre um livre e a zaga completamente exposta como vimos diversas vezes esse ano.


 Essa imagem é da partida entre São Paulo e Lanús da Argentina pela semifinal da Libertadores Sub-20, ganha pelo tricolor paulista duas semanas atrás. Nessa partida, a equipe argentina saiu na frente com 2x0 e tomou a virada depois de ter um jogador expulso de forma errônea pela arbitragem. Antes disso, dominavam com muita tranquilidade o jogo por conta de sua marcação feita por zona. A bola girava e o time também, sempre na marcação e dois na sobra, um por cada lado, pelo menos seis jogadores ficavam na zona e pela ponta evitando surpresa e se roubasse, tivesse espaço livre para o contra-ataque. Esse sendo um esquema ideal para a marcação do time, especialmente pela alta idade dos atletas.

4-5-1
 Pensando nas peças que temos, já que o mercado é difícil resolvemos ver algumas opções de esquema. Uma delas é o 4-5-1, que fortifica o meio-campo, pode-se utilizar velocidade nas pontas e escolher se usa um trinco (Guto) a frente da zaga ou um regente/organizador (Corrêa). Assim poderia ter um poder forte na frente, com quatro jogadores no meio de maior qualidade técnica e um atacante. Em casa de se defender, teria a cobertura dos pontas e três meias, só que o melhor nessa esquema seria ter jogadores de velocidade pelos lados para poder contra-atacar se necessário.







4-4-2
O velho e tradicional 4-4-2 em linha ajuda na marcação e é simples de ser armado, podendo ter um volante de maior força no meio e um segundo de melhor saída. Nos lados dois jogadores ou de qualidade técnica se utilizar um jogo condensado ou de velocidade. Podendo também avançar os pontas no meio e usar um 4-2-2-2.





3-5-2
O 3-5-2 é meio antigo, mas funciona, fortifica o meio-campo e deixa a defesa coesa que é uma grande preocupação da torcida. Tendo dois jogadores de velocidade saindo e Lima, de maior qualidade técnica de líbero. Isso pode abrir chance para um meio tendo Jean mota e Pio nas pontas, usando maior velocidade, mas teria que contratar ao menos mais um zagueiro, pelo para o banco.

4-3-3

O 4-3-3 não deu certo com os reservas no sábado, mas pode ser interessante. O meio precisa de um jogador de marcação, mais aberto ou centralizado, dependendo do treinador. O certo é que os pontas precisam quase sempre ter velocidade, ou ao menos um deles ter qualidade no passe para cruzamentos ou armação, com a chegada de um dos médios. O time pode atacar no 4-3-3 e defender no 4-5-1 com os pontas voltando para marcar.
4-3-1-2
Sim, o esquema atual pode dar certo. Primeiro precisa de jogadores de velocidade nas pontas, ou pelo menos um jogador de maior força para a marcação para o lateral avançar com maior tranquilidade. O central precisa também de força, para segurar a defesa, sabendo fazer o pivô e o mais importante, abrir espaços e aparecer como surpresa na entrada da área. 
5-4-1
Se for para retrancar, o 5-4-1 é a melhor opção, deixando três zagueiros fechando, mas ao mesmo tempo, dá mais liberdade para laterais e meias. O centroavante fica mais isolado, mas se houver preferência em pontas com velocidade, facilita no avanço pelos lados.

Por Luca Laprovitera
Twitter: @lucalaprovitera
Facebook: https://www.facebook.com/lucalaprovitera/