Dona Marizinha - exemplo de torcedora ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

terça-feira, 8 de março de 2016

Dona Marizinha - exemplo de torcedora

Postado por Luca Laprovitera às 08:00:00 terça-feira, 8 de março de 2016

Hoje é o Dia Internacional da Mulher e eu gostaria de compartilhar uma entrevista que fiz alguns anos atrás junto com meu amigo Gustavo Sá para o site do Fortaleza. Dona Marizinha já nos deixou, mas seu exemplo e paixão encantam diversos torcedores até hoje. Ela foi matriarca de uma grande família tricolor, com nomes gravados na história do clube e do desporto cearense e nacional. Confiram essa entrevista sensacional sobre uma das grandes mulheres do futebol cearense:

"Fortaleza Esporte Clube, traz uma entrevista mais que especial com uma torcedora ilustre do Tricolor de Aço. Maria Filomena Fontenele Magalhães, mais conhecida como Dona Marizinha, de 92 anos é apaixonada pelo Fortaleza e demonstra muito orgulho de ser torcedora do Leão.
“Eu só tenho idade, mas a cabeça é de jovem”, diz Dona Marizinha no início da conversa. Nascida no dia 19 de Dezembro de 1917, ela tem uma família grande com quatro filhos, dezesseis netos e oito bisnetos. Daqui mais uns meses chegam mais dois para aumentar ainda mais a família.
Dona Marizinha é irmã de um ex-jogador do clube, Zécândido Fontenele e se mantém “antenada” até hoje, sobre o Tricolor ouvindo programas de rádio, assistindo aos jogos na sua televisão e até conversando com dirigentes pelo seu celular. Torcedora fanática, dona Marizinha tem uma casa com vários adereços alusivos ao Tricolor. De pôsteres até almofadas, ela tem uma extensa coleção de produtos do Fortaleza. Confira a entrevista na íntegra. (Antes do Tetra).

Site Oficial: Como e quando você começou a torcer Fortaleza?
Dona Marizinha Quando comecei a torcer pelo Fortaleza ainda existia o Maguari, meus filhos eram pequenos. Ainda não existe ninguém no mundo que torça Fortaleza mais que eu. O Fortaleza quando perde nunca é culpa dele, é sempre culpa do técnico, dos jogadores. Mas nunca vou abrir a boca para culpar o meu Fortaleza.
Site Oficial: Quais foram os maiores atletas que você viu jogar no Leão?
Dona Marizinha Tem muitos jogadores. Beijoca que era odiado pelo rival. Croinha era muito bom. Teve tanto atacante bom, inclusive Zécândido meu irmão que jogou no Fortaleza ainda na época um pouco mais amadora.
Site Oficial: Quais as grandes partidas que você já assistiu do Tricolor?
Dona Marizinha Muitas partidas, pois eu ia sempre ao estádio. Mas destaco as três vitórias seguidas, em cima do Ceará na mesma semana, em 1974, por 4×0, 3×1 e 1×0 dando o título para o Leão.
Site Oficial: Forme a sua seleção do Fortaleza de todos os tempos.
Dona Marizinha São tantos bons jogadores. Tive muita sorte de vê-los jogar! Teve tanto atacante bom como o Nicácio ou o Beijoca, que o rival ficava mandando beijos zombando do apelido, mas ele foi lá e fez 3×0, depois disso ninguém brincou mais. O quadrado de ouro Lucinho, Chinesinho, Zé Carlos e Amilton Melo. O lateral-direito Louro, Zé Paulo, Mozart, Croinha. É muita gente boa! Não consigo formar só um time…
Site Oficial: Quais os grandes dirigentes que você já viu no Fortaleza?
Dona Marizinha Manuel Guimarães, Luis Rolim Filho, Ney Rebouças, Ribamar Bezerra, Jorge Mota, Delfino Filho, Flávio Novais, Renan Vieira, Orlando Patrício. Mantenho contato com vários deles.
Site Oficial: Na semana passada teve uma partida histórica contra o Guarany de Sobral. Você acha que pode ter sido uma espécie de empurrão no ressurgimento do Fortaleza nesse ano tão difícil? Será que sai o tetra esse ano?
Dona Marizinha Estamos na esperança. Espero que o treinador e os jogadores não errem e procurem jogar com vontade, coragem, responsabilidade que conseguiremos o título.
Site Oficial: Quando você começou a frequentar estádios não era bem comum a presença de mulheres, era algo quase proibido. Você poderia explicar mais ou menos como era?
Dona Marizinha Comecei a frequentar estádio quando meu irmão jogava. Eu ia com meu marido no Prado ainda, depois pro Presidente Vargas. Ele não gostava de me levar porque dizia que toda vez que fossem falar mal do meu irmão eu ia me irritar e ele tinha razão, eu ficava doidinha (risos). Mas a minha sogra pedia para ele me levar porque eu gostava de futebol.
Site Oficial: A senhora se considera uma precursora da presença das mulheres nos estádios aqui no Estado?
Dona Marizinha Acho que sim, no meu tempo não existia. Já tenho mais de 90 anos, existo desde a fundação do Fortaleza.
Site Oficial: Você teve um irmão que jogou no Fortaleza, outro que é um grande historiador do futebol. Até onde vai essa sua ligação ao esporte bretão?
Dona Marizinha Toda vida eu gostei. Comecei com a influência dos meus irmãos. Mas o culpado de eu gostar de futebol mesmo foi meu filho, Marcos George, que me ensinou tudo sobre o esporte. Eu não entendia nada! Perguntava a regra do impedimento, porque os jogadores corriam atrás da bola… Hoje, eu sei mais que o meu filho e ele se arrepende (risos).
Site Oficial: Você ainda frequenta estádios? Se não, quando parou e por quê?
Dona Marizinha Não, nunca mais fui. Principalmente por causa da artrose que não me deixa andar bem. Comecei a acompanhar os campeonatos na televisão. Na minha idade e com toda essa violência, eu prefiro mesmo é ficar em casa.
Site Oficial: Você fica feliz hoje em dia quando vê uma forte presença feminina nas arquibancadas?
Dona Marizinha Fico muito feliz! Fico triste é vendo pouca gente! Acho que a torcida do Fortaleza só quer reclamar. Deviam chegar é “mais junto”. Muitos só querem reclamar. Menos eu! (risos)
Site Oficial: Recentemente o Flamengo elegeu uma presidente para o clube. Você acha que um dia o Fortaleza poderá fazer algo parecido?
Dona Marizinha Não acho! Prefiro homem mesmo! Queria que meu amigão Ribamar voltasse, sem desmerecer o Renan que eu gosto muito. Me dou bem e até brinco com o presidente e ele acha uma graça danada. Mas prefiro homem por ter mais força, ter pulso, mas sem desqualificar a mulher. Você sabe que o homem se impõe mais, né? É algo muito espinhoso para mulher. Não se respeita nem homem, imagina a mulher.
Site Oficial: Fale um pouco sobre a pessoa Dona Marizinha…
Dona Marizinha Minha vida é em volta do Fortaleza mesmo. Minha cabeça é boa por causa do Fortaleza. Também me preocupo muitos com meus filhos. Sempre andando na casa de um ou outro.
Site Oficial: E a Dona Marizinha torcedora?
Dona Marizinha Acho que não tem na cidade inteira quem torça mais que eu. Acompanho o rádio todo dia. Até telefonar para os presidentes eu telefono (risos).
Site Oficial: Mande uma mensagem para todas as mulheres Tricolores nesse dia tão especial.
Dona Marizinha Espero que continuem como eu, sempre torcendo pelo Tricolor! Sempre elogiando e jamais falando mal. Afinal o Fortaleza é um clube de elite. Depois da minha família, o Fortaleza é a minha vida. Eu amo o Fortaleza Esporte Clube!"

Por Luca Laprovitera e Gustavo Sá