Eu acreditei em 12 minutos! ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

sábado, 2 de abril de 2016

Eu acreditei em 12 minutos!

Postado por Unknown às 12:34:00 sábado, 2 de abril de 2016
Imagem motivacional do Bora Leão (Arte: Emanuel Miller)

Arena Castelão, 28 de fevereiro de 2010, às 17 horas com um público de mais de 20 mil pessoas vendo algo inesperado na decisão do primeiro turno entre Fortaleza e Guarany de Sobral do Campeonato Cearense de 2010 . Naquela época, o Tricolor de Aço tinha se classificado em quarto lugar na tabela com uma campanha de seis vitórias, dois empates e três derrotas. A formação do time era Fabiano no gol, Peter e Guto laterais, Gilmak e André Turatto zagueiros. No meio de campo com Leandro, Coquinho, Gaibú e Paulo Isidoro, e no ataque Johnes e Tatu. Luiz Muller era o técnico.
 
Nunca um tricolor tinha imaginado o quanto iria ser difícil passar pela primeira decisão em busca do tetracampeonato estadual. A goleada inesperada do adversário veio de uma forma rápida. Quando mal piscávamos os olhos, o placar já contava com 4x1 para o Guarany de Sobral, mas o jogo só termina quando o árbitro apita. O Castelão que estava lotado, na metade do segundo tempo estava perdendo aos poucos o seu público. Muita gente já não acreditava, mas os que ficaram viram um dos maiores jogos que o Fortaleza Esporte Clube fez na história, o milagre de fazer três gols para empatar a partida e ir para os pênaltis logo depois, aconteceu.

Foi mágico e inesperado. O segundo maior artilheiro do clube entra em campo aos 10 minuto do 2º tempo no lugar do volante Coquinho. Rinaldo antes de entrar campo não esperava que aquele jogo iria ser o mais marcante da sua carreira. Quando estava faltando apenas 12 minutos para chegar aos 45, o Leão começou a reagir. Guto recebe a bola e manda pro gol. 4x2! Dois minutos depois, a bola vai para Rinaldo que no meio da área chuta para o gol sem goleiro. 4x3! Só faltava um para empatar e ir para os pênaltis. O Castelão estava tenso, a torcida gritava desesperada, mas mais alto que o desespero era a esperança que o torcedor tinha no coração. Em um cruzamento de Peter, Gilmak cabeceia, mas não esperava que o homem raio estaria ali na trave esquerda só para dar um peixinho, encostar a cabeça na bola para fazer o gol. 4x4!

O que acontecia, o Castelão não previa. A tarde daquele domingo era vermelho, azul e branco. A bola que entrou quatro vezes no gol adversário, com 12 minutos reverteu a situação. A torcida entra ao delírio. Rinaldo era o homem daquela tarde. A esperança que por muitos foi jogada fora, em outros valeu a pena ter acreditado em apenas 12 minutos.

Ser aguerrido depois de levar quatro gols foi difícil, mas não impossível. Ser combativo em cada ataque foi sofrido, mas esperançoso. Ser vibrante a cada gol feito era algo inacreditável. Ser forte em cada passada para a área de ataque, a dor não era mais problema. Ser guerreiro e nunca ter deixado de acreditar era e sempre vai ser Fortaleza.

Neste domingo, temos mais uma batalha a ser cumprida. Temos que fazer dois gols de diferença em cima do Bahia na Fonte Nova, em Salvador. Vamos ter um estádio tricolor também, mas sem ser com a nossa torcida. Teremos mais 90 minutos para conseguir a classificação para a semi-final.

Chegou a hora de acreditar que nesses 90 minutos podem ser transformados em 12. Rinaldo não estará em campo, mas que os jogadores em campo encarnem o seu espírito de esperança e faça valer a pena. Que o cansaço vá embora e que eles carreguem só o apoio da torcida mais apaixonada do Estado para Salvador. Chegou a hora de ser Fortaleza. Chegou a hora de ser como sempre foi em 97 anos de história: Combativo, aguerrido, vibrante e forte!

Veja o vídeo motivacional de Rinaldo, contando um pouco na sua visão sobre este jogo:

Texto por Thaís Pontes
Twitter: @thaispontes_