Nasce 2018 e morre o mito do impossível ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Nasce 2018 e morre o mito do impossível

Postado por Unknown às 16:25:00 sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

    Após um ano de percalços, o tricolor voltou a sorrir. (Foto: JL Rosa/Agência Diário)

2017 foi um ano atípico. Penso que essa é a palavra. A temporada em que pareceu que tudo ia dar errado foi a que terminou da maneira mais emocionante. Imprevisível, como a vida e o futebol. Daqueles anos que servem para o torcedor lembrar que o impossível não existe no mundo futebolístico. Tempos turbulentos, de instabilidade e mudanças desenfreadas e, por vezes, impensadas. Trocas de presidentes, treinadores e um plantel com mais de 60 jogadores marcaram uma temporada de baixíssimo nível técnico.

Uma eliminação vergonhosa para o Ferroviário e outra embaraçosa para o São Raimundo-PA fizeram o primeiro semestre do torcedor leonino doer forte. Nem a campanha na Copa do Nordeste salvou, mais uma decepção. Tudo se encaminhando para 2017 ser lembrado como um ano de muito sofrimento. Começa a Série C e o velho sonho do acesso. Vence, perde, empata. Nada de regularidade. Nada de grandes esperanças. Seria mais um ano de dor? Estava parecendo. Empates bestas, derrotas inexplicáveis; nada muito animador.


Sem minha fé tão viva, vivi: “Como acreditar nesse time? Não dá! Não vai subir! Se quando fez por merecer não subiu, agora é que não vai! Ah, não! Terminou em terceiro, vai decidir fora de casa, não vai dar! Certo, vamos lá. Nada é impossível, né? Mais uma vez, Castelão lotado. Será que dessa vez o final do filme é outro? Jogo truncado, Fortaleza em cima. Vence de 2 x 0. Será que vai dar? Toda cautela é pouca para quem sonha muito. Vai segurando, vai dando certo. Ah, lá vem sofrimento! Levou gol e essa partida não acaba. Segura, Boeck! Teste para cardíaco. Terminou! O jogo, a Série C, o sofrimento e o pesadelo. Vamos chorar, nós merecemos”.

    A angústia foi forte, mas a alegria triunfou (Foto: Thiago Lima)

O dia mais feliz da vida de muito leonino por aí foi esse. Inclusive o meu. Não foi campeão, não conseguiu vaga para a Copa do Brasil, mas realizou o sonho de subir! O que eu tinha como impossível virou realidade. O Sonho que passei noites rezando para acontecer se concretizou. O time que mais estava desacreditado conseguiu o que os que mais me animaram não alcançaram. Muito louco, né? É, o futebol... como dizia o antropólogo Roberto DaMatta, tudo o que acontece nas quatro linhas está muito mais próximo do dramático e do mágico do que do racional. E finalmente o torcedor do Fortaleza pôde lavar sua alma e sair com seu manto com um sorriso gigantesco no rosto. O leão renasceu, e seu rugido voltou a ser ouvido.

O 2017 tricolor provou que absolutamente tudo pode acontecer. E torcer pro Fortaleza, além de ser minha maior felicidade, é meu maior deleite do impossível. Estava esquecido de como acreditar é importante, independente de circunstâncias. O acesso em meio às perturbações de trocas de dirigentes, técnicos e jogadores mostrou que o Fortaleza é imensamente maior que todos juntos. Eles passam, vão embora, voltam, mas o Fortaleza fica! Haja o que houver, entrando e saindo anos e mais anos, nenhum patrimônio é maior para o leão do que o seu torcedor.

Para 2018, já temos o que esperar. Diferente de outros anos, apenas Cearense e Brasileiro. Calendário escasso, mas de muitas esperanças. Um campeão mundial no comando, visibilidade nacional, contratações... novas expectativas, novos sonhos para a nação tricolor. Que depois de 2017, ela nunca mais esqueça da máxima do Fortaleza: há sempre chance de o impossível acontecer. Pode vir, 2018! Venha e traga o que de mais belo o tricolor mereça! Continuemos a sonhar e, também, a realizar!

Feliz 2018 a todos, e uma enorme e sonhada Série B que nasce com o novo ano! Bora Leão!

Por Zeca Lemos