O vídeo que mudou a história ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

domingo, 3 de dezembro de 2017

O vídeo que mudou a história

Postado por Luca Laprovitera às 12:29:00 domingo, 3 de dezembro de 2017
(Foto: Fortaleza EC/Reprodução)

Enquanto gasto minha madrugada minutando os episódios finais do Documentário do Acesso me vem a cabeça os momentos vitais para tudo isso ter acontecido e vou contar para vocês a história de como esse vídeo teve seu papel no que aconteceria pela frente.

LEG, como chamamos Luis Eduardo disse que seria importante a veiculação naquele momento, eu e outros presentes como o Pedro Arthur Salgado achávamos que não era o melhor momento, mas mesmo assim concordamos em assistir o vídeo para fechar a decisão no consenso de todos da equipe.Com 28 anos de idade, cresci como torcedor acompanhando Clodoaldo e sua magia, sofri com sua saída, mas qualquer mágoa que eu teria dele se apagaria naquela fatídica terça-feira. Dois dias depois, na quinta-feira seria feriado de 7 de setembro, teríamos um treino aberto à torcida para apoiar o elenco que jogaria a última e decisiva partida da Fase de Grupos da Série C contra o Moto Club, seria no feriado da Independência, no fim da manhã que o vídeo seria veiculado.


Chego o dia do treino, o vídeo é veiculado e contrariando tudo que acreditávamos antes de vê-lo, a recepção parecia bem positiva. À tarde chegava ao Pici e me encontraria com a minha equipe da TV Leão Bruno Oliveira e Paulo Matheus para filmar o treino. Nos é informado que Clodoaldo iria ao Pici no fim daquela tarde e falaria com o elenco. De imediato começamos um trabalho por conta própria, mostrar para o máximo possível de atletas o vídeo e explicar a eles quem era aquele baixinho de curtos lances magistrais que pedia perdão.
Torcida lotou o Pici (Foto: Pedro Chaves)

As arquibancadas do Alcides Santos estavam lotadas, a torcida pulsava de apoio, não sei se estava relacionado, mas gosto de pensar que a emoção do vídeo e do perdão contagiaram o coração de todo tricolor naquele dia, que no dia da Independência, pudéssemos ser livres de algo que nos atormentou por oito anos.

No fim da tarde Clodoaldo chega ao Fortaleza escondido no carro de um amigo, entra por trás dos vestiários e chega até a prédio Manoel Guimarães. Lá o elenco e comissão iriam se encontrar no 1º andar na Sala de Troféus, uma reza coletiva e apoio de todos que ocorria antes da equipe concentrar.
Os jogadores de fora já estavam familiarizados com Clodoaldo graças a nossa maratona vespertina, o cumprimentavam com todo respeito de quem eles sabiam que fazia parte da história. 

Então estão todos lá, todos se abraçam, o círculo se fecha, do lado de fora alguns torcedores que não retornaram as suas casas notam que tem pessoas no prédio, não sabem se são jogadores ou não, mas cantam de forma apaixonada o hino como se estivessem fazendo uma serenata na arquibancada.

O clima até então tão pesado vai perdendo força, Luis Eduardo fala, então é a vez de Marcelo Paz, Bosco em seguida e por fim Clodoaldo que um discurso simples: "Eu queria estar com vocês, mas infelizmente não posso. Eu queria entrar em campo, porque vocês não imaginam como é lindo quando essa torcida joga junto", ele fala um pouco mais, não chega a 1 minuto, mas o recado foi dado, estamos todos emocionados.

Nos cumprimentamos um por um, estávamos juntos do presidente e o capitão do time até nós da TV Leão que estávamos ali só para registrar algo que nem seria preciso no fim, o que aconteceu ficou gravado em nossas mentes e guardado em nossos corações, foi enquanto descíamos aquelas escadas que a confiança finalmente virava a certeza: "Vamos subir!"

Foi ali, naquele 7 de setembro que a história começou a ser feita, um baixinho que não era Davi derrubou o gigante que não Golias. O dia que Clodoaldo mesmo sem jogar, deu sua pequena contribuição para mais uma vez nos subir de divisão.

Nós da TV combinamos com o presidente que iríamos gravar, mas a medida que todos iam chegando desistimos, aquele momento era apenas nosso, com todo egoísmo que foi necessário ali. A medida que todos chegavam, viam aquele baixinho e o reconheciam, os antigos da comissão abraçavam como aquele velho amigo que de muito não viam, os jogadores locais o cumprimentavam emocionados, ouso a dizer que um deles até esboçou lágrimas de felicidade e outro ficou parecendo criança quando descobriu que a chuteira do comercial era dele.



No dia 5 de setembro os funcionários que faziam a comunicação do Fortaleza estavam reunidos na Delantero para definir como iríamos proceder durante aquela semana tão importante do jogo contra o Moto Club. A reunião era tão importante que o então presidente Luis Eduardo Girão estava presente, na ocasião começamos a debater o vídeo abaixo que deveria ter ido ao ar no dia 31 de agosto, conhecido como Dia do Perdão, porém com a derrota para o Confiança ficou guardado.


Por Luca Laprovitera