Não é momento para os Cavaleiros do Apocalipse ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

domingo, 28 de janeiro de 2018

Não é momento para os Cavaleiros do Apocalipse

Postado por Luca Laprovitera às 19:22:00 domingo, 28 de janeiro de 2018
(Imagem: Correio do Brasil)
Em toda torcida grande tem seus os famosos Cavaleiros do Apocalipse, aqueles que não podem ver um tropeço, uma derrota, uma atuação abaixo do esperado que começam a rogar pragas, determinar quem é ruim, quem é bom e por aí vai, analistas de resultado e não do futebol jogado.

Primeiramente vamos as certas questões. O time jogou mal sim, tanto no 1º quanto no 2º tempo, sentiu falta de um zagueiro de ofício enquanto Murilo estava claramente perdido, Felipe a cada jogo que passa me convence mais que é volante e não lateral-direito, e que o clube deveria buscar alguém nessa função e a falta grosseira que faz um camisa 9 para o banco de reservas. 

Os dois gols vieram de falhas coletivas, ambos tiveram erros de Murilo e Leonan. No primeiro Leonan não conseguiu parar a jogada no 1 a 1 pela esquerda e Murilo chegou atrasado, Boeck sequer teve reação. No segundo, os dois não tiraram a bola, matando o tempo de reação do paredão tricolor que dessa vez falhou. 

A equipe foi totalmente nova praticamente, cinco jogadores sequer tinham jogado 45 minutos até então, Felipe, Murilo, Edinho, Germán Pacheco e Wesley só haviam entrado no decorrer dos jogos. Leonan foi titular pela primeira vez, e apenas pela segunda vez foi jogar em sua posição de origem. Igor e João Henrique que estavam revezando, jogaram juntos pela primeira vez, além de Diego Jussani que jogou em um lado inverso ao que vinha atuando. Vamos as análises individuais.

Marcelo Boeck: Falhou no 2º gol, o 1º é discutível, porém não acho que teve culpa, mas dos jogos passados para hoje já vi melhora na saída de jogo.

Felipe: Como lateral não rende, como volante é outro jogador, deu fluência diferente ao meio, sua posição é lá.

Murilo: Volante de origem, está comendo pato como zagueiro. Claramente fora de posição, o atleta que é bastante promissor foi queimado e mostrou que não é habituado e nem preparado para jogar na zaga.

Diego Jussani: Não estava em sua posição no 1º gol, porém não jogou mal, seu lado é mesmo o direito.

Leonan: Provavelmente o atleta que esteve mais abaixo, fez várias faltas bobas, errou a maioria dos cruzamentos, Bruno Melo que vem muito bem tem essa vaga por enquanto.

Anderson Uchôa: Até de zagueiro jogou hoje, porém pouco influiu, os problemas estiveram no primeiro e no último setor do campo.

Igor Henrique: Cresce a cada jogo, mas não é armador e melhora quando faz a transição, precisa jogar um pouco mais recuado no campo.

João Henrique: Não foi bem no 1º tempo, teve alguns momentos no 2º tempo quando jogou aberto, porém de um lado (direito) ao qual não é acostumado. Mostrou sempre melhor entrando durante o jogo.

Edinho: Precisa guardar posição, quando a bola não chega fica correndo atrás dela, se cansa mais rápido e sem necessidade.

Germán Pacheco: Completamente perdido de falso 9, porém quando recuava e jogada pelo meio era outro jogador, deu um lançamento maravilhoso para Edinho ridiculamente não aproveitado por erro surreal do trio de arbitragem que marcou impedimento.

Wesley: Melhor em campo pelo Fortaleza, fez gol, tentou, buscou, porém ainda corre muito em destino, conseguiu guardar posição melhor do que Edinho, mas precisa soltar mais a bola.

Tinga: Pouco fez, não dá para falar nada.

Alan Mineiro: Tentou algumas coisas, mas estava claramente fora de ritmo, mostrou muita técnica.

Gustavo: Entrou no foguete, as bolas não chegavam e foi muito bem marcado.

Rogério Ceni: Inventou um pouco na escalação inicial, se precipitou em mudar duas vezes logo no intervalo e teve que queimar substituição com a saída de Murilo, serve de aprendizado que jogador que faz várias funções é importante, não dá para jogar com muitos jogadores do mesmo time assim.

Elenco: Um lateral-direito para brigar com Tinga, os retornos de Adalberto e Roger Carvalho, e a vinda de um outro centroavante são necessários. Lugar de Felipe é no meio e como anda Derley? Se Uchôa contundir ou for suspenso, quem joga ali?

Não é preciso desespero, nem queimar toda a equipe, resultado ruim, mas dentro de uma competição serve de aprendizado, mostra que faltam opções ainda no grupo. Bom para retomar a humildade, tranquilizar torcida e até mesmo algumas alas do clube que o ano apenas começou, o primeiro confronto real, o primeiro teste verdadeiro será apenas próximo domingo, no Clássico Rei, e mesmo com o momento melhor pelo lado do tricolor, o favoritismo é alvinegro e que continue com ele, já que em clássico, tudo se equivale e a humildade é vital nos 90 minutos.

Por Luca Laprovitera