Especial: ser Fortaleza, pela ótica delas ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

quinta-feira, 8 de março de 2018

Especial: ser Fortaleza, pela ótica delas

Postado por Paulo Rodrigo às 21:41:00 quinta-feira, 8 de março de 2018

Bom, é muito difícil discernir quando que minha paixão pelo Fortaleza começou, mas algo que é um fato, é que foi passado por família. Falar sobre o papel da mulher no estádio é algo ainda mais complexo devido à falta de espaço e preconceitos que a sociedade nos impôs, devido ao lance "cultural". Mas porque não podemos viver essa paixão? Sabemos sim o que é um impedimento, sabemos sim diferenciar trave de travessão. 
Mas também há suas glórias. Estar presente fora das quatros linhas de campo já me proporcionou momentos inenarráveis, inesquecíveis. Quem não se emocionou ao ver nossa querida Toinha atravessando o campo de joelhos? É disso que eu falo, não é por uma simples bola, é sobre o sentimento que está por trás  disso tudo! Seja aos dois,vinte ou oitenta anos, lugar de mulher é onde ela quiser, e se for na arquibancada, melhor ainda!

Melyssa Vasconcelos

Ser torcedora do Fortaleza, é a oportunidade de vivenciar inúmeras experiências nos estádios, é vibrar, cantar, torcer, apoiar o time com toda a torcida e poder sentir a emoção após um gol. É ficar ansiosa com cada jogo, principalmente quando se é clássico ou decisivos, onde a adrenalina é duplicada. É também chorar quando o time perde, e sorrir ao o ver ganhando. É poder levar o time de coração no seu dia, acompanhando sempre as notícias, saber das contratações, treinamentos e etc. Umas das maiores dificuldades de ser uma mulher torcedora fiel ao um time de futebol é que por questão de cultura passada de gerações por gerações, o futebol criou uma marca de ser “O universo masculino”, algo que supostamente as mulheres não entendiam e o preconceito ainda existe, mesmo que muitas vezes inconscientemente ele aconteça. Mas graças a grandes nomes femininos no esporte, as mulheres estão sendo reconhecidas como torcedoras e entendedoras de futebol e com isso ganhamos mais liberdade em ir aos estádios torcer, gritar e não sentir mais aquela diferença de que é um local só masculino. É um local dos amantes ao esporte e não importa se você é homem, mulher, adulto ou criança, o que importa é o amor ao time. E hoje em dia, tenho total liberdade de poder expor meu amor a esse time sem que seja julgada! Neste dia, 8 de março, Dia Internacional da Mulher, é a data que todos se voltam às mulheres e por que não aproveitar para notar as mulheres no universo do Futebol?!

Letícia Lima

Ser mulher é ser forte, guerreira. E ser torcedora do Fortaleza é algo bem mais significativo, é amor. Ver toda aquela gente vibrando, cantando, gritando, ver a garra do time em campo, tudo aquilo é muito contagiante, é uma energia única. A emoção é grande, tão grande que muitas vezes o grito sai meio que de impulso ou lágrimas escorrem pelos olhos, não só nos momentos de tristeza mas de alegria, também. Torcer para o Fortaleza é ter o coração forte e preparado para aguentar os 90 minutos de jogo, algumas vezes não é fácil, mas, acima de tudo, é nunca deixar de acreditar. É ser filmada, passar na TV e te reconhecerem nos cantos como “a torcedora do Leão” sim, e com muito orgulho. É prestar atenção em jogadas e lances, e dialogar com os homens sobre o jogo e ser vista como boa entendedora. É ser segura e firme, ficar a flor da pele, gritar com o juíz e, mesmo assim, não perder a beleza de ser mulher.

Jessica Ohana

Fortaleza é substantivo feminino
Fortaleza, de acordo com os dicionários, é sinônimo de firmeza, resistência, vitalidade - todos substantivos femininos. Enquanto o Fortaleza dos campos faz jus ao nome impresso nos dicionários, nas arquibancadas podemos ver a melhor representação de que ser mulher e torcedora é ser, acima de tudo, (uma) fortaleza.
 
Ser mulher e torcedora tricolor é ser firme e jamais abdicar do propósito de defender o nosso tão amado clube; é ser resistente para saber que nem mesmo o preconceito que ainda envolve as mulheres no universo esportivo jamais seria suficiente para diminuir o afeto e a emoção quando as sagradas cores do time entram em campo; é demonstrar vitalidade para gritar e torcer até o último minuto, nos acréscimos, sem ousar duvidar de um improvável acesso ou de um - quase - impossível título.
 
O sincero abraço da torcida torna-se ainda mais leal quando cantado por uma torcedora. É assim que entoamos que tua glória não é só lutar, mas vencer também. Não é à toa que o hino, que descreve tão bem a grandeza e a imponência do Fortaleza Esporte Clube, também represente a intensidade da torcedora tricolor. A combatividade, a garra, a vibração e a força são virtudes indispensáveis, não só em dia de jogo. Não demonstrar cansaço é lema que norteia o viver.
 
É, justamente, através desse poema em forma de hino que somos homenageadas constantemente, porque mais que apaixonadas pelo vermelho, azul e branco que tornam a cidade mais bela, somos a maior definição do que é ser Fortaleza.
 
Karine Nascimento