Floresta ignora lei da meia-entrada e oferece quantidade de ingressos inferior à permitida ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

quinta-feira, 29 de março de 2018

Floresta ignora lei da meia-entrada e oferece quantidade de ingressos inferior à permitida

Postado por Paulo Rodrigo às 14:11:00 quinta-feira, 29 de março de 2018
Foto: Reprodução
A semifinal entre Fortaleza e Floresta também está rendendo muitos assuntos fora das quatro linhas. Nos últimos dias, o impasse era pra decidir o palco da segunda partida da decisão, que tem mando da equipe da Vila Manoel Sátiro. Agora, outra questão intriga: a quantidade de ingressos que o Floresta disponibilizou para meia-entrada. Ao que tudo indica, nem tudo está saindo como deveria.

Onde estão os 40%?

É o que diz a LEI Nº 12.933, DE 26 DE DEZEMBRO DE 2013. onde destacaremos o seguinte artigo e parágrafos:

Art. 1o  É assegurado aos estudantes o acesso a salas de cinema, cineclubes, teatros, espetáculos musicais e circenses e eventos educativos, esportivos, de lazer e de entretenimento, em todo o território nacional, promovidos por quaisquer entidades e realizados em estabelecimentos públicos ou particulares, mediante pagamento da metade do preço do ingresso efetivamente cobrado do público em geral.

§ 10.  A concessão do direito ao benefício da meia-entrada é assegurada em 40% (quarenta por cento) do total dos ingressos disponíveis para cada evento. 

Entenda na prática onde está o erro

Para o setor laranja, onde ficará a maior parte de Tricolores, foi disponibilizado um total de 5.000 ingressos, logo, a quantidade de meias para corresponder aos 40% seria de 2.000 ingressos. O Floresta, porém, disponibilizou apenas 1.500 ingressos (30%).

No setor social, onde a quantidade de ingressos disponibilizados é menor, ocorreu uma situação semelhante. Foram disponibilizados 1.080 ingressos. Sendo disponibilizados apenas 300 ingressos meia (27,85%), quando na verdade deveriam ser 432 ingressos.

Impasse anterior

Não é novidade que o Floresta tem dificultado a relação entre as partes. Na reunião que decidiu o estádio da decisão, mais precisamente após o veto da partida em Horizonte, a diretoria da equipe não mediu esforços para levar a partida a Juazeiro do Norte. O que seria de grande desgaste até mesmo para os seus atletas. Tendo em vista que as duas equipes são sediadas na capital.

Independente dos motivos que levaram a diretoria do Floresta a tomar tal atitude, trata-se de um desrespeito ao torcedor. E não só isso. Mas uma falha grave, por melhor dizer, pois se trata do descumprimento da lei. Pode ficar barato?