A semana que dura 8 anos ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

quarta-feira, 11 de abril de 2018

A semana que dura 8 anos

Postado por Luca Laprovitera às 23:15:00 quarta-feira, 11 de abril de 2018
De joelhos, Toinha agradece o acesso em Juiz de Fora
(Imagem: Esporte Interativo)
Quarta-feira vai chegando ao fim, a semana demora a passar e uma ansiedade vai crescendo hora após hora. O sono parece ser cada vez menor, os gordinhos querem comer mais, os mais magros comem ainda menos, um pesadelo que nos atormentou por longos oito anos acaba nessa sexta-feira, caso essa semana de duração infinita, que também parece durar esses malditos oito anos, antes dela acabar.

Tudo começou um pouco antes das 18 horas do dia 21 de novembro de 2009, o Fortaleza perdia para o São Caetano-SP no Castelão antes mesmo de ser Arena por 2x1 e depois de dez anos gloriosos, voltava para a Série C. Foram longos 3065 dias, dentro de 438 semanas, se na época chorávamos a decepção no finado orkut, ano passado comemoramos pelo Twitter, YouTube, Facebook, Instagram, o que havia de rede social disponível. 

Foram períodos difíceis, nem sempre lutamos para subir, houveram algumas glórias como o tetra, o gol de Cassiano, o bicampeonato, tirar o Flamengo da Copa do Brasil. Grandes jogadores deixaram sua marca, Fabiano, Corrêa, Anselmo, Lima, Ricardo Berna, Waldison, foram tantos que deram a vida, mas por detalhes infelizmente não conseguiram alcançar o que tanto mereciam. Alguns abandonaram, mas a maioria ficou, não abandonou nunca esse time no momento mais difícil e mesmo com tantas dificuldades a nossa massa cresceu, ficou ainda mais fiel, mais apaixonada, o que parecia impossível aconteceu, o Fortaleza conseguiu virar ainda mais gigante, carregado nos braços por milhões de apaixonados. 

Alguns vão tirar sarro disso, mas eu não me importo porque o amor pelo Fortaleza é maior do que tudo isso. Porque mesmo nas brincadeiras, muitos torcedores de outros clubes irão se identificar em algum momento, daquele objetivo que tanto perseguiram, que batiam na trave, que eram um trauma, um fantasma, até o dia que finalmente conseguiram, aquele sentimento de dever cumprido, aquela liberdade no coração. 

Não sei se sexta-feira conseguirei segurar as lágrimas, provavelmente não, afinal nem escrevendo esse texto consegui. Por oito anos doei alma, suor, horas de sono, voz, amor por esse time, eu e milhões. Não desisti por um minuto sequer, sei que vocês não, eu só quero que sexta, às 19:15, meus olhos estejam vidrados quando Fortaleza e Guarani perfilados entrarem em campo, no meu pensamento uma só frase irá ecoar: "O pesadelo acabou!" 

Por Luca Laprovitera