Fantasma para exorcizar ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

terça-feira, 19 de junho de 2018

Fantasma para exorcizar

Postado por Luca Laprovitera às 23:52:00 terça-feira, 19 de junho de 2018
Fortaleza lamenta gol do Oeste que evita o acesso em 2002, em pleno PV.
(Foto: Gabriel Gonçalves/O Povo)
Águia de Marabá, Sampaio Corrêa e Brasil de Pelotas, fantasmas antigos dos dolorosos anos da Série C que foram exorcizados. O Águia ainda naquele inferno em forma de divisão para o torcedor tricolor. A vingança pelo gol de Torrô em 2010 veio no Castelão com goleada e rebaixamento do time paraense. 

O do Sampaio veio com juros, depois de nos tirarem em pleno Castelão em 2013, eliminamos a Bolívia Querida no Castelão deles e fomos para a final do Brasileiro no ano passado e voltamos a vencê-los esse ano. Sexta passada, 2x0, difícil, como tem que ser, e a eliminação na prévia do nosso aniversário em 2015 foi vingada. 

Sábado, 19 horas, depois de um dia inteiro de Copa do Mundo um velho conhecido nos enfrenta. Se em 2012 o palco foi o PV, em 2018, o estádio de Copa, a Arena Castelão irá receber esse confronto tão esperado pelo torcedor tricolor. 

Todos temos na memória o tal "Jogo do Século", time de melhor campanha na Série C, invicto em casa, entrava em campo com o resultado que o classificava, PV lotado para lembrar do acesso no mesmo local de 2002 quando o também paulista Jundiaí caia diante de nós, mas o sonho virou pesadelo e um doloroso 3x1 nos assombrou por anos. Foi ali que muitos entenderam que a Série C já não era mais algo passageiro e sim um problema, um tumor que precisava ser eliminado. 

Levou mais algum tempo, mas entre erros e acertos, o tal dia finalmente chegará no próximo sábado. Percorremos longos 2.050 dias para vermos novamente o Oeste que na época era de Itápolis e hoje reside em Barueri. Dos 27 atletas que jogaram naquele 11 de novembro, apenas o zagueiro Ligger que na época defendia o Oeste e hoje está no Fortaleza estará novamente em campo.

O jogo de sábado não é como qualquer outro. Não é apenas vencer e se manter cada vez mais líder. Sábado é a hora de exorcizar um fantasma antigo, para deixar velhos medos para trás e seguir para novos horizontes e conquistas. É gritar para voltarmos a uma divisão, mas dessa vez a correta, onde queremos e devemos estar.

Por Luca Laprovitera