Clássico Rei - 100 anos de história ~ Bora Leão
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Clássico Rei - 100 anos de história

Postado por Luca Laprovitera às 19:32:00 segunda-feira, 17 de dezembro de 2018
Clássico Rei disputado em 2000 (Foto: José Leomar)
100 anos de história. É essa a idade do maior do mundo para mim e para outros quase 50 milhões de apaixonados. Clássico esse tão apaixonante que divide estado, capital, colégios e famílias. De um lado um clube de cores simples, preto e branco. Do outro um clube que prefere cores mais vivas, chamativas, do vermelho, azul e branco.

Clássico que começou polêmico e decisivo, o primeiro foi logo uma final. De lá para cá ele decidiu diversos outros títulos, entre estaduais e turnos. No alto dos meus 29 anos, vi poucos clássico frente a essa história centenária, mas o suficiente para capítulos lindos e tristes de minha vida. Lembro-me criança do gol de Mário César no último minuto de prorrogação, frustrando aquele menino de 8 anos de comemorar seu primeiro título, impossibilitando de imortalizarmos ainda mais com todo mérito a dupla Sandro e Frank.

De lado um lado sofri com Sérgio Alves, mas vi o deles sofrer com Clodoaldo. Fui as lágrimas quando ouvi dos berros de Júlio Salles a bola de Daniel Frasson vencendo Jéfferson, era o fim da agonia, éramos campeões de 2000.

David Madrigal e seu caso não me desce, quanto para eles 2004 tem que ter final. Rinaldo e seus 4 gols, para uma vingança crua nas mãos de Adilson. Douglas e o impossível em 2009, Paulo Isidoro de garotinho nada tinha, e Fabiano para sempre tetra no Castelão.

O pênalti contestável de 2012, no PV. Luís Carlos parando todos em 2014, e Cassiano imortal quando tudo parecia perdido em 2015. Em 2018, eles venceram, de Centernada, levamos a taça da Série B para casa. Foram tantas histórias, tanta rivalidade, mas também tantas partilhas. Partilhamos também estado, cidade, colégio, famílias e amigos, partilhamos ídolos e conquistas, até que literalmente, 1992 que o diga. Partilhamos o amor por nossos clubes e por nossa terra.

Falo mal do meu rival sempre que posso, mas quem é de fora não pode dizer, falo mal eu que sou rival dele e não você. 100 de Clássico Rei, que alegria, esse é apenas mais um capítulo de um livro que espero eu, que nunca tenha fim.

E como não podia faltar brincadeira, deixo com vocês para mim a conquista mais gostosa do Fortaleza sobre o Ceará. Na voz de Júlio Salles e com imagem da TV Diário, o primeiro papa-penta que você nunca esquecerá.


Por Luca Laprovitera