Bora Leão: Curiosidade
Please enable / Bitte aktiviere JavaScript!
Veuillez activer / Por favor activa el Javascript![ ? ]
Mostrando postagens com marcador Curiosidade. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Curiosidade. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

10 jogadores que você talvez nem lembre que passaram pelo Fortaleza - Parte II

Postado por Luca Laprovitera às 17:35:00 terça-feira, 18 de dezembro de 2018
Técnico do sub-20 tricolor por dez anos, Jorge Veras
também foi atleta do Leão
Já que a primeira parte fez tanto sucesso, resolvi fazer a parte dois com outros 10 jogadores que passaram pelo Fortaleza e talvez o pessoal nem lembre (VEJA A PARTE I AQUI). Alguns a galera talvez nem saiba quem são, mas a gente faz o favor de lembrar e servir esse prato cheio para os saudosistas de plantão. 

RUI REI (1980)
Rui Rei com a camisa do Corinthians
Centroavante rápido e perigoso, características que todos gostam no camisa 9 de sua equipe. Foi assim que Rui Rei surgiu no Flamengo na primeira metade dos anos 70. Passou pela Portuguesa, mas começou a brilhar na Ponte Preta onde teve seu capítulo mais polêmico na carreira. Expulso no início do jogo na final do Paulista de 77 contra o Corinthians, aumentou ainda mais a especulação quando dias depois foi apresentado no alvinegro de Parque São Jorge. Por lá conquistou o título paulista de 79 e marcando 21 gols em 77 jogos. Chegou ao Fortaleza em 1980 para a disputa da Taça de Prata (Série B do Brasileiro). No Leão não se firmou, marcando apenas 2 gols e saindo para o Botafogo-RJ após o fim da competição. 

MARQUINHO CARIOCA (1983)

Ponta esquerda perigoso, Marquinho Carioca apareceu no Vasco no início dos anos 80. Peça importante do time campeão carioca de 1982, era uma espécie de 12º jogador do técnico Antônio Lopes. Jovem e sem espaço, foi emprestado ao Fortaleza no ano seguinte e fez um ataque mortal ao lado de Júlio César Uri Gheller e Luizinho das Arábias nos poucos meses que esteve no Leão. O suficiente para conquistar o título estadual e ser lembrado até hoje por muitos da época. No ano seguinte foi convocado por Edu Antunes para a Seleção Brasileira atuando em dois amistosos contra Argentina e Uruguai. Ainda passou pela dupla Fla-Flu, pelo Atlético-MG onde foi campeão mineiro em 1988 e pelo Coritiba onde aposentou na temporada seguinte, com apenas 29 anos. 

JOSIMAR (1991)

Você já deve ter visto aqueles dois belos gols que a Seleção Brasileira marcou na Copa do Mundo de 1986 (esse contra a Irlanda do Norte e esse contra a Polônia), no México. O dono dessa façanha foi o lateral-direito Josimar. Forte, dono de chute impecável e boa marcação, foi dono da posição no Botafogo em boa parte dos anos 80, sendo negociado com o Sevilla da Espanha, em 1988. Depois disso foi uma sequência de passagens sem sucesso em seu retorno ao Botafogo, pelo Flamengo, Internacional-RS e Bangu. Chegou no Fortaleza em 1991 para assumir a lateral-direita. Mesmo sem os gols de fora da área, cumpriu papel importante no título estadual daquele ano (você já deve ter ouvido a narração de Ivan Bezerra e o "Miranda, Mirandinha"). Saiu do clube em seguida, rodando um bocado até aposentar no fim de 1996 pelo Mineros de Guayana, da Venezuela.

PAULINHO CRICIÚMA (1993) 
Revista Placar comentando
a contratação do atleta, em 1993
Paulinho Criciúma foi um meia-atacante de muito sucesso no futebol brasileiro entre os anos 70 e 80. Com passagens marcantes pelo Criciúma, pelo Bangu onde foi vice-campeão brasileiro em 1985, pelo Botafogo onde foi bicampeão carioca em 1989 e 1990 encerrando 21 anos de jejum do clube carioca sem títulos e pelo Internacional onde foi campeão gaúcho em 1991. Nesse mesmo ano foi negociado com o Nagoya Grampus do Japão, aterrissou no Pici no início de 1993. Poucos jogos, nenhum impacto e sem gols, Paulinho logo foi para o Los Angeles Salsa dos Estados Unidos. Aposentou no Celaya do México, em 1996.

JORGE VERAS (1993)
Jorge Veras pelo Fortaleza (Foto: Arquivo MaurícioRetrô)
Jorge Veras é peça conhecida no Pici. Foi técnico do sub-20 por dez temporadas, entre 2007 e 2016, sendo três vezes campeão cearense do sub-20 e uma do sub-18. Revelado no Ceará em 1980, foi no Ferroviário em 1982 que começou a fazer sucesso que levou o Criciúma a contratá-lo. Foram três anos no interior de Santa Catarina com muito sucesso, conquistando o Campeonato Catarinense de 1986 e a artilharia em 1985 com 21 gols. Sucesso foi tanto que o Grêmio o contratou em 1987, ficando por lá duas temporadas marcando dois gols e sendo bicampeão gaúcho. Em 1989 voltou ao Criciúma sendo novamente campeão catarinense, passando por Ferroviário, Avaí e Bandeirante-SP até chegar ao Fortaleza, em 1993. Já na parte final da carreira, Jorge Veras fez boas partidas, o ponta-esquerda marcou alguns gols, mas deixou o clube após o estadual para atuar no 4 de Julho-PI. Aposentou em 1996 no Quixadá.

Toto (2000)
Toto aquecendo antes do treinamento no Cruzeiro
Toto começou em 1988 pelo Juventus de Jaraguá do Sul, clube de sua cidade natal, em Santa Catarina. Despontou no Catarinense de 1991 quando foi artilheiro, marcando 19 gols. Foi contratado pelo Flamengo e mesmo com poucos jogos, foi campeão brasileiro em 1992, marcando 4 gols em 9 jogos. No meio da temporada foi para o Cruzeiro onde foi campeão e artilheiro do Campeonato Mineiro com 16 gols. Do banco viu o time ser campeão da Supercopa nesse mesmo ano e da Copa do Brasil em 1993. Com o surgimento de um garoto chamado Ronaldo, que depois seria chamado de "Fenômeno", Toto perdeu espaço e começou a rodar pelo Sul do país, passando por Paraná, Joinville, Figueirense, Criciúma e Chapecoense, até chegar ao Fortaleza em 2000. O início foi arrasador, 5 gols em 6 jogos, mas o alto atacante dos cabelos loiros logo caiu de rendimento marcando apenas mais 2 gols até o fim de sua passagem e deixando o clube após o título estadual, aposentando próximo de completar 32 anos de idade.

Darci (2002) 

Darci "Cavalo" começou no América-RJ no fim dos anos 80, tendo boas passagens pelo Paysandu-PA e pelo Volta Redonda-RJ no início dos anos 90. Rodou por Belenenses e Felgueiras de Portugal e pelo Rochester Rhinos dos Estados Unidos até aportar no Olaria no início de 1999. Um dos destaques do Campeonato Carioca daquele ano com 7 gols, sua aparência semelhante ao de Ronaldo "Fenômeno" com o fato de marcar gol em três dos quatro grandes logo chamaram atenção e no segundo semestre foi para o Botafogo. Rodou mais um pouco até chegar no Fortaleza em 2002 como a solução para os gols. Após algumas partidas e sem gols, Darci foi dispensado do Tricolor, e continuou perambulando até aposentar em 2006, após passagem pelo Aragua, da Venezuela. Faleceu vítima de um ataque cardíaco em janeiro desse ano, aos 49 anos.

Macedo (2003) 
Macedo em ação pelo Santos
Macedo foi um dos atacantes de maior sucesso dos anos 90. Veloz, arisco e daqueles bons garçons, o jogador passou por São Paulo, Santos, Cruzeiro, Vasco, Coritiba e Grêmio arrastando taças. Foi campeão paulista, gaúcho, do Rio-São Paulo, Mundial, da Recopa e da Libertadores, chegou até a ser convocado por Falcão para a Seleção Brasileira, sem entrar em campo. Passou três temporadas na Ponte Preta entre 2000 e 2002, chegando ao Fortaleza em 2003. Passagem essa conturbada, 4 jogos e apenas um mês, deixando o clube para atuar no arqui-rival Ceará pela Série B. Apesar do início promissor no Fortaleza, saiu rápido e sem gols. Já no Ceará marcou 4 gols, mas também logo sua chama apagou e voltou para a Ponte Preta, também sem sucesso. Aposentou em 2009, aos 40 anos, pelo pequeno União Mogi, de São Paulo.

Cocito (2007)

Revelado pelo Botafogo-SP em 1997, fez sucesso mesmo no Atlético-PR onde atuou entre 1998 e 2003. Apelidado carinhosamente de "Coicito" pelo jeito viril, ficou famoso por lesionar Kaká em uma partida de Campeonato Brasileiro. No clube paranaense foi tricampeão estadual em 2000, 2001 e 2002, além de Campeão Brasileiro em 2001. Passou sem sucesso por Corinthians em 2003 e por Grêmio em 2004. Ensaiou um retorno ao Atlético-PR em 2005, mas sem repetir as atuações da primeira passagem, foi negociado com o Tenerife da Espanha. Chegou ao Fortaleza no fim de março de 2007, chegou a atuar algumas partidas, mas o baixo desempenho e as lesões atrapalharam seu rendimento. Aposentou dois anos depois, aos 32 anos, pelo Vila Nova-GO.

Rodrigo Mendes (2009)

Rodrigo Mendes era um meia-atacante canhoto, habilidoso e de chute potente. No fim dos anos 90 e início dos anos 2000 fez sucesso atuando por Flamengo e Grêmio, empilhando taças como os estaduais Carioca e Gaúcho, a Mercosul de 1999 e a Copa do Brasil de 2001. Foi artilheiro da Libertadores de 2002 pelo Grêmio, marcando 10 gols, clube onde viveu sua melhor fase. Chegou ao Fortaleza no fimzinho de 2008, já bastante prejudicado pelas lesões, porém foi nome importantíssimo no título Cearense de 2009. Marcou 3 gols no 1º turno, inclusive um na final contra o Guarany de Sobral que nos garantiu na finalíssima, mas atuou até o fim da partida no sacrifício, levando-o a uma contusão que não o deixaria mais atuar pelo Leão. Com salário alto e críticas mistas sobre seu desempenho classificado como irregular, Rodrigo Mendes foi liberado ao fim do estadual. Acabou assinando com o Novo Hamburgo que jogaria até 2011 quando aposentou. 

Bônus: Willer (2000 e 2009)

Figura caricata dos estaduais nos anos 2000, o meia Willer Souza, o melhor, Willer "Palhaço" se destacou pelo Itapipoca e chamou atenção dos noticiários de todo país. Veloz e bastante técnico, o atleta tinha sido palhaço de circo e ainda vinha da mesma cidade de Tiririca. Willer passou duas vezes pelo Fortaleza, a primeira em 2000, para a disputa da Copa João Havelange, chegando até a marcar um gol no amistoso preparatório contra o Ferroviário, mas ficou maior parte do tempo no banco. Rodou pelo Independiente da Argentina, Anzhi, Dínamo Bryansk, Oryol, Luch-Energiya da Rússia, Suduva da Lituânia e Smorgon de Belarus até retornar ao Itapipoca em 2009. Destaque no estadual novamente, lá foi o Fortaleza levá-lo junto a um pacotão de atletas do interior como Léo Jaime e Júnior Cearense que vinham do Horizonte para a disputa da Série B. Willer novamente não se firmou, deixando o clube antes mesmo do fim da temporada. Aposentou em 2016, atuando novamente pelo Itapipoca.

Por Luca Laprovitera 

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

10 jogadores que você talvez nem lembre que passaram pelo Fortaleza

Postado por Luca Laprovitera às 17:25:00 segunda-feira, 17 de dezembro de 2018
Com passagem na Seleção Brasileira, em 1999,
o goleiro Alexandre Fávaro foi um dos que passou pelo Pici
Fim de ano, contratações não estão saindo, temos que pensar naquelas pautas para encher linguiça. Hoje selecionamos 10 jogadores que passaram pelo Fortaleza e talvez você nem lembre. Jogadores com passagens de destaque em clubes tradicionais do país e até ídolo do maior rival, confira. 

DIMAS FILGUEIRAS (1971-1972)
Dimas pelo Fortaleza em 1972
Revelado pelo Botafogo-RJ, em 1963, ficando por lá até 1970, onde foi campeão Brasileiro em 1968 (justamente sobre o Fortaleza), Carioca em 1967 e 1968, e do Rio-São Paulo em 1964 e 1966, além de ter sido convocado para a Seleção Brasileira para a disputa dos Jogos Olímpicos de 1964, em Tóquio no Japão. Ídolo do maior rival, Ceará, Dimas atuou por lá entre 1972 e 1976, tendo assumido o comando do clube por diversas vezes, sendo técnico em mais de 500 partidas pelo rival. Mas o que poucos sabem é que a história de Dimas no estado começou no Fortaleza. O então lateral-esquerdo chegou no Leão em 1971 e ficou até o meio de 1972, sendo duas vezes vice-campeão cearense. 

CAÇAPAVA (1987)

Volante que gostava de subir ao ataque com frequência, Caçapava fez sucesso no Internacional dos anos 70 ao lado de Falcão, Batista e Carpegiani, sendo tetracampeão gaúcha e bicampeão brasileiro. Atuou 4 vezes pela Seleção Brasileira entre 1976 e 1977, ainda passou com sucesso no Corinthians no fim dos anos 70 e início dos anos 80, rodando por Palmeiras, Vila Nova-GO, Ceará e Novo Hamburgo-RS. Chegou ao Fortaleza em 1987, mas aposentou antes do time confirmar o título de Campeão Cearense daquela temporada. Morreu em 2016, vítima de um infarto, aos 61 anos de idade.

MENDONÇA (1993)
Mendonça em ação pelo Botafogo
Um dos maiores artilheiros do Botafogo-RJ, o meia Mendonça brilhou no clube do Rio entre 1975 e 1982. Fez sucesso também na Portuguesa-SP que lhe rendeu a convocação para o vice-campeonato da Copa América de 1983 pela Seleção Brasileira. Mendonça aportou no Pici dez anos depois, quando já havia rodado Palmeiras, Santos, Inter de Limeira-SP, Al-Sadd do Catar, Bangu, São Bento, Grêmio e Inter de Santa Maria. No Leão não foi impactante, saindo ao fim da temporada para atuar no América-RN, em 1994, aposentando dois anos depois no Barra Mansa-RJ.

WASHINGTON "CASAL 20" (1995)
Washington em seus tempos de Fluminense
Washington foi ídolo de Athlético-PR e Fluminense-RJ nos anos 80. Levou o clube paranaense a sua primeira semifinal de Brasileiro e pelo clube carioca foi tricampeão estadual e campeão brasileiro. Ao lado de seu fiel escudeiro, Assis, chegou a Seleção Brasileira, mas após sair do tricolor carioca rodou bastante sem sucesso. Chegou ao Fortaleza em 1995, aos 35 anos, marcou 2 gols no Campeonato Cearense contra Ceará e Tiradentes, mas saiu sem dar maiores impressões, aposentaria no ano seguinte no Foz do Iguaçu-PR. Faleceu em 2014 vítima das complicações de sua esclerose lateral amiotrófica. 

WILSON MANO (1996)
Wilson Mano pelo Corinthians
Famoso "Coringa da Fiel", surgiu no XV de Jaú em 1981 ficando até 1986 quando foi para o Corinthians. Polivalente, atuava de lateral, zagueiro, volante e meia, ficou 7 anos por lá, conquistando o Paulista de 1988, o Brasileiro em 1990 e a Supercopa do Brasil 1991. Em 1992 foi para o futebol japonês retornando em 1994 ao alvinegro paulista. Sem sucesso no retorno, passou também sem maiores impactos por Sãocarlense, Bahia e novamente pelo XV de Jaú. Chegou ao Fortaleza prestes a fazer 32 anos. Sua garra chamava atenção, mas as lesões o atrapalharam no Leão, chegou a marcar um gol contra o Itapipoca no estadual, mas acabou aposentando ao fim da temporada.

DANIEL FRANCO (2002)
Figurinha de Daniel Franco
nos tempos de Inter-RS
Lateral-esquerdo forte e de chute potente, Daniel Franco fez sucesso no Inter-RS no início da carreira. Titular do bicampeonato gaúcho de 1991 e 1992 e do título da Copa do Brasil de 1992, Franco ainda foi titular da Seleção Brasileira na conquista do Sul-Americano Sub-20 de 1991. Passou ainda por Atlético-MG, Corinthians, Avaí, St. Pauli da Alemanha, entre outros clubes até chegar no Fortaleza, em 2002. No Leão parecia sempre estar fora de forma, mesmo assim ainda conseguiu marcar 2 gols, um belíssimo de fora da área contra o CSA pela Copa do Nordeste e um de bicicleta contra o Maranguape no estadual, esse último, 2 dias antes da sua dispensa do clube.

EVANDRO "CHAVEIRINHO" (2006)

Evandro Chaveirinho chegou ao Fortaleza no fim de 2005, em uma espécie de time "teste" que Ribamar Bezerra montou para 2006. Meio-campo revelado pelo Vasco em 1988, teve sucesso por Goiás e Portuguesa nos anos 90 e início dos anos 2000, tendo inclusive passado pelo Flamengo em 1997, fazendo parte do time vice-campeão da Copa do Brasil daquele ano. Nos anos anteriores havia sido bicampeão da Série C pelo Brasiliense em 2002 e pelo Ituano em 2003, antes do Leão havia tido destaque no vice-campeonato da Série C pelo América-RN em 2005. Evandro não impressionou e nem se firmou, sendo liberado 2 meses depois para atuar pelo São Bento. Aposentou em 2009 atuando pelo Brasília.

ALEX ALVES (2008)

O atacante capoeirista fez grande sucesso nos anos 90, sendo vice-campeão brasileiro pelo Vitória em 1993, campeão Brasileiro pelo Palmeiras no ano seguinte, sendo novamente vice-campeão brasileiro pela Portuguesa em 1996, mas atingindo seu auge por Cruzeiro e Hertha Berlim da Alemanha. Famoso por seus gols e sua comemoração com passos de capoeira, seu estilo metrossexual fazia sucesso também fora dos gramados. Voltou ao Brasil em 2003 para atuar no Atlético-MG, mas a forma não era a mesma. Jogou ainda por Vasco, voltou ao Vitória e passou pelo Boavista-RJ, sem sucesso. Começou a recuperar a forma no Fortaleza em 2008 por conta de sua amizade com o meia Paulo Isidoro, assinou contrato e até estreou marcando um golaço contra o Quixadá, no Alcides Santos, mas não repetiu as atuações e foi dispensado. Aposentou em 2010 pelo União Rondonópolis-MT. Faleceu em 2012, aos 37 anos após um transplante medula para tratar uma rara doença que o afligia, chamada Hemoglobinúria paroxística noturna.

RODRIGO BECKHAM (2008)
Rodrigo Beckham no Everton
da Inglaterra
Rodrigo Beckham foi um dos jogadores que faziam sucesso no país no fim dos anos 90. Principal jogador do Gama no título da Série B de 1998, chegou ao Botafogo-RJ na temporada seguinte e foi o destaque do time na campanha do vice-campeonato da Copa do Brasil daquele ano, tendo inclusive dois gols anulados na final. No clube carioca teve destaque que o levou ao Everton da Inglaterra, logo após rápida passagem pelo Atlético-MG. No futebol inglês sofreu grave lesão no joelho que o levou a retornar ao Brasil para atuar no Corinthians, sem sucesso. Convivendo com lesões e dores rodou bastante até chegar ao Fortaleza, em 2008. Atuou em apenas 3 partidas, sendo dispensado durante a temporada.  

ALEXANDRE FÁVARO (2009)

Revelado pela Ponte Preta em 1998, Alexandre Fávaro era um dos promissores goleiros brasileiros no fim dos anos 90. Foi duas vezes eleito o melhor goleiro do Paulistão em 1999 e 2001, chegando a ser convocado por Wanderley Luxemburgo para um amistoso contra a Austrália, em 1999. Passou ainda por América-SP, Cruzeiro, com boas passagens por Paysandu onde foi bicampeão paraense e Brasiliense onde foi campeão candango. Chegou ao Fortaleza em 2009 para disputar posição com o prata da casa Douglas na Série B. Porém, Fávaro acabou não se firmando, atuando em 13 partidas e terminando a competição novamente no banco. Aposentou em 2012, no Ferroviário. 

Bônus: Fágner (2002)

O cantor Raimundo Fágner jogou com a camisa do Fortaleza em uma oportunidade. Foi em um Fortaleza 3x0 Maranguape, amistoso realizado no PV, em 2002. O artista atuou nos 15 minutos finais da partida entrando no lugar do baixinho Clodoaldo. 

Por Luca Laprovitera 

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

47 curiosidades do Fortaleza

Postado por Luca Laprovitera às 16:35:00 quinta-feira, 18 de outubro de 2018

No clima do centenário, preparamos um material com curiosidades da história do Fortaleza nesses 100 anos. Alguns mais conhecidos, outros nem tanto, mas todos ditos e preparados com muito carinho:

1-Alcides de Castro Santos, ou apenas Alcides Santos, nasceu no dia 4 de novembro de 1889, na cidade de Maranguape. Foi atleta de remo do Flamengo, estudou na Suíça, no College Stella, fundou a Sociedade Cearense Filatelia e Numismática, a Liga Metropolitana de Fortaleza, os clubes Stella, Riachuelo, Maranguape e Tabajara, que dariam origem ao Fortaleza, em 1918. Alcides foi o primeiro representante da Ford no Brasil e trouxe da Inglaterra a primeira bola de futebol específica para jogo do estado. Faleceu no dia 27 de outubro de 1971, aos 81 anos.

2-Antes do Fortaleza atual, Alcides Santos fundou o Fortaleza Sporting Club, em 1912. Um clube amador, mas que foi desfeito tempos depois.

3-Em 1918, Alcides Santos viajou para a Paris durante a Festa da Bastilha e se apaixonou pelas cores, decidindo ali que o vermelho, azul e branco seriam as cores dos uniformes de seu novo clube.

4-Como os tecidos com as cores azul e vermelho eram difíceis de se achar, eles eram pedidos de São Paulo para se tornar o uniforme do clube.

5-Foi do Fortaleza a primeira contratação de um atleta de fora do estado para o futebol cearense. O ponteiro Nelsindo, em 1919, vindo do Náutico-PE.

6-O primeiro título do Fortaleza foi a Liga Metropolitana de 1919.

7-Seis sobrinhos de Alcides Santos defenderam as cores do Fortaleza. Foram eles Moacyr, Jandir, Juracy, Jurandir (Caranã), Agapito e Walter.

8-O maior artilheiro em Clássicos-Rei é o tricolor Juracy, marcou 25 vezes entre os anos 20 e 30.

9-Bicampeão como goleiro nos estaduais de 1926 e 1927, Rolinha conquistou o tri em 1928 atuando como zagueiro.

10-No Campeonato Cearense de 1927, o Fortaleza aplicou a maior goleada dos Clássicos Rei, 8x0 com três gols de Hildebrando, dois gols de Pirão, com Xixico, Humberto Ribeiro e Juracy completando o placar

11-O Fortaleza se licencia em 1929 após desavenças com a ADC - Associação dos Desportos do Ceará, retornando apenas em 1932.

12-O Tricolor tem seu primeiro atleta estrangeiro em 1938, o alemão Fred Maehlmann, ou Fred Alemão. Fred era um judeu refugiado da Alemanha Nazista, atuou uma temporada no Leão, marcando 11 gols.

13-É justamente de Fred Alemão o recorde de gols em uma só partida no futebol cearense. Ele marcou 8 gols na vitória por 11x2 sobre o Iracema, no Campeonato Cearense de 1938. Dos oito gols, seis foram de cabeça.

14-O Fortaleza foi o primeiro clube campeão regional ao vencer o América-RN, em Natal, pela Copa Cidade de Natal, torneio precursor da atual Copa do Nordeste, em 1946 (a final foi disputada em 1947).

15- O Fortaleza conquista o Campeonato Cearense de 1946 de forma invicta pela oitava (e até hoje) e última vez, estabelecendo o recorde de clube mais vezes campeão invicto no estadual.

16-Em 1957, Carlos Rolim Filho compra um terreno no bairro do Pici, ali seria inaugurado em 1962 o estádio Alcides Santos. 

17-No dia 18 de julho de 1959, o Fortaleza empata com o Santos por 2x2, no PV. Zé Raimundo e Bececê marcaram pelo Leão, Pelé marcou os dois gols do time paulista e ao fim do jogo vestiu a camisa tricolor junto com Pepe.

18-Em 1959, José Jatahy compõe o primeiro hino do Fortaleza. Você pode ouvir CLICANDO AQUI.

19-Depois de lesionar o ombro em uma dividida no fim do 1º tempo, o goleiro Pedrinho Simões jogou 30 minutos do 2º tempo com uma tipoia no braço direito contra o Bahia na Taça Brasil de 1960. O paredão conseguiu segurar o 0x0 na Fonte Nova contra o atual campeão brasileiro mesmo com um só braço até Aluísio II o substituir.

20-Em 1960, o Fortaleza chegou na final da Taça Brasil para enfrentar o Palmeiras. Foi a primeira vez que um clube cearense chegou a uma final nacional.

21-Como as viagens eram complicadas entre estados nos anos 60, o Palmeiras emprestou um médico para o Fortaleza para a disputa da decisão da Taça Brasil.

22-Em 1962, o Fortaleza se torna o primeiro clube cearense à jogar no exterior. O Leão excursionou pelo Suriname, onde fez um amistoso com a Seleção do Suriname, perdido por 1x0 e disputou a Paramaribo Cup, sendo inclusive campeão ao vencer o Leo Victor por 4x1, o Robinhood por 3x1 e empatar em 1x1 com o Transvaal.

23-No dia 21 de junho de 1962, foi inaugurado o estádio Alcides Santos com um amistoso entre Fortaleza e Usina Ceará. O Leão venceu por 2x1, mas o primeiro gol do Pici foi do adversário, Cleto do Usina Ceará foi o autor do primeiro gol do estádio.

24-No dia 10 de fevereiro de 1963, o Fortaleza aplicou a maior goleada da história do futebol cearense ao aplicar 11x2 no Gentilândia. Haroldo marcou sete vezes, Mozart Gomes quatro e Nagibe uma. O jogo foi válido pelo Campeonato Cearense.

25-Em 1967, Jackson de Carvalho compõe o hino do Fortaleza como conhecemos hoje. O maestro Manuel Ferreira foi o arranjador e o intérprete foi o cantor Manoel Paiva. Ouça CLICANDO AQUI.

26-Para comemorar o título Cearense de 1967, o Fortaleza enfrentou o Fluminense, no PV, no dia 28 de janeiro de 1968. O Leão venceu por 1x0 com gol de Humaitá, mas o grande fato do jogo foi a presença de Mané Garrincha que atuou 45 minutos com a camisa do Tricolor de Aço.

27-O Fortaleza chega novamente a uma final de Taça Brasil, em 1968. Com as desistências de Santos e Palmeiras, a demora para o encerramento da competição (terminada apenas em Setembro de 1969), Fortaleza e Botafogo, finalistas da competição, não tiveram direito a jogar à Copa Libertadores na temporada seguinte.

28-Em janeiro de 1971, mesmo perdendo para o Sport-PE, em Recife por 2x1, o Fortaleza conquista a Taça Norte-Nordeste de 1970. Cardoso marcou os dois gols do Sport, enquanto Erandy Montenegro fez o gol tricolor.

29-Em 1972, o Fortaleza foi Campeão Cearense de Clubes Sociais do Carnaval. Sim, campeão do Carnaval, você leu certo. 

30-No dia 11 de novembro de 1973, Fortaleza e Ceará inauguram o Castelão, pelo Campeonato Brasileiro daquele ano. O jogo acabou em 0x0 sob os olhos do "Diamante Negro", Leônidas da Silva que acompanhava o jogo.

31-No dia 12 de maio de 1974, o Fortaleza se tornou o primeiro clube cearense a vencer no Mineirão ao vencer o Atlético-MG por 1x0, com gol de Marciano. A partida foi válida pelo Campeonato Brasileiro.

32-O lateral-direito Louro foi eleito o melhor jogador de sua posição no Campeonato Brasileiro de 1974 pelo prêmio Bola de Prata, sendo até hoje o único atleta do tricolor a conseguir tal feito.

33-O Fortaleza venceu o Ceará três vezes em uma só semana, entre os dias 19 e 26 de março de 1975. O primeiro jogo foi 4x0 Fortaleza, com três gols de Geraldino Saravá e um de Amílton Melo. O resultado deu ao Fortaleza o título do 2º turno. Como tinha melhor campanha, o Ceará jogava a final pelo empate. Na primeira decisão, 1x0 Fortaleza, gol de Geraldino Saravá, e na segunda, 3x1, com dois gols de Amílton Melo e um de Haroldo. O grande feito também deu ao Fortaleza o título de Campeão Cearense de 1974 e a honra de ter sido o primeiro time a ser campeão no Castelão.

34-16 de março de 1984, com gol de Wagner o Fortaleza vence o Palmeiras por 1x0 e se torna o primeiro clube cearense a vencer no estádio do Morumbi.

35-Em 2000, com gol de Daniel Frasson, o Fortaleza empata por 1x1 com o Ceará, no estádio do Junco, em Sobral e conquista o título de Campeão Cearense. Foi a primeira e única que vez que o troféu de campeão estadual foi levantado fora da capital.

36-Pela 4ª rodada da Série A de 2003, o volante Dude marca um golaço contra o São Caetano e se torna o primeiro atleta na história do Fortaleza a marcar gols pelo clube em três divisões diferentes.

37-No dia 16 de julho de 2003, com gols de Vinícius, o Fortaleza faz 2x0 no Flamengo e se torna o primeiro clube cearense a vencer no Maracanã, o maior templo do futebol mundial.

38-Mesmo com apenas 2% de chance de acesso para a Série A de 2005, o Fortaleza bate o Avaí por 2x0 e ainda conta com a surpreendente vitória do Brasiliense por 3x2 sobre o Bahia, em plena Fonte Nova. O Fortaleza se sagra vice-campeão da Série B de 2004 e voltava à Série A.

39-Fortaleza e Palmeiras se enfrentaram no Parque Antártica, no dia 17 de julho de 2005. Com gols de Fumagalli e Lúcio Bala, o Leão venceu por 2x1 e se tornou o primeiro time cearense a vencer no Palestra Itália.

40-O primeiro jogo oficial do estádio Alcides Santos foi no dia 12 de março de 2008, entre Itapipoca e Fortaleza. Curiosamente, o mandante da partida era o Itapipoca. A partida terminou em 3x3 e o zagueiro tricolor Juninho marcou o primeiro gol oficial do Pici. Rogerinho e Márcio Azevedo marcaram os outros dois gols. Popó duas vezes e Miraíma marcaram para o Itapipoca.

41-Entre os dias 17 de julho de 1999 à 9 de setembro de 2001, o Fortaleza manteve a maior invencibilidade em Clássicos-Rei na história, 16 jogos.

42-O jogador com mais jogos pelo Fortaleza é o volante Dude, com 402 partidas disputadas.

43-Moésio Gomes é o técnico que mais comandou o Leão na história, 290 jogos.

44-Geraldino Saravá é o maior artilheiro da história do clube com 152 gols. Rinaldo é o maior artilheiro do clube em Séries A, com 26 gols, em Campeonatos Brasileiros 50 gols, em Copas do Brasil com 11 gols. Sandro Gaúcho é o maior artilheiro em um só Campeonato Cearense com 39 gols, já Geraldino Saravá é o maior artilheiro do clube em Campeonatos Cearenses com 90 gols. Assisinho é o maior artilheiro do Fortaleza em Séries C com 18 gols, já em Séries B o maior é Clodoaldo com 25 gols.

45-Com 4 gols, Clayton Maranhense no 7x2 do Campeonato Cearense de 1999 e Rinaldo no 6x3 do Campeonato Cearense de 2006 são os jogadores com mais gols em um só jogo de Clássico-Rei.

46-O Fortaleza foi o clube que mais deu artilheiros para o Campeonato Cearense, 47 no total. Teve o artilheiro da Taça Brasil, Bececê com 7 gols. Da Série B em três oportunidades com Vinícius em 2002, com 22 gols, Rinaldo em 2004, com 14 gols e Marcelo Nicácio em 2009, com 19 gols. Assisinho foi artilheiro da Série C 2013, com 12 gols. 

47-Sete jogadores dividem o feito de maior artilheiro do estádio Alcides Santos. São eles: o zagueiro Gilmak, o meia Bismarck, os atacantes Careca, Cleiton, Reginaldo Júnior, Ribinha e Tatu, todos com 7 gols. Apenas Careca e Ribinha não atuaram pelo Fortaleza.

Por Luca Laprovitera 

quarta-feira, 25 de abril de 2018

Série B de velhos conhecidos

Postado por Luca Laprovitera às 15:51:00 quarta-feira, 25 de abril de 2018
Reginaldo Júnior, Hélio dos Anjos, Juliano e Lúcio Flávio,
velhos conhecidos e rivais do Leão na B de 2018. 
Depois de jogar três rodadas na Série B de 2018, o Fortaleza já encontrou ex-jogadores no gramado. Ontem contra o CRB, o goleiro João Carlos e os atacantes Juninho Potiguar e Neto Baiano que já passaram pelo Leão estavam em campo e teve até lei do ex com o gol de Neto Baiano. 

São 31 jogadores, quatro técnicos, três auxiliares e um preparador físico com passagens pelo Fortaleza Esporte Clube, distribuídos em 15 dos 19 adversários da competição. Apenas Coritiba, Oeste e Ponte Preta não contam com ninguém que tenha passado pelo Fortaleza. O Vila Nova conta com seis ex-tricolores no elenco, além do treinador e seu auxiliar. Confira a lista:

Atlético-GO: Bileu (Volante: 2007/2008)
Avaí: Geninho (Técnico: 1994)
Boa Esporte: William Schuster (Meia: 2017)
Brasil: Tiago Cametá (Lateral-Direito: 2014) e Vacaria (Volante: 2017)
CRB: João Carlos (Goleiro: 2012/2013), Juliano (Volante: 2016), Juninho Potiguar (Atacante: 2017) e Neto Baiano (Atacante: 2007)
Criciúma: Alex Maranhão (Meia: 2012/2013) e Zé Carlos (Atacante: 2017)
CSA: Elivelton (Zagueiro: 2016)
Figueirense: Guilherme Lazaroni (Lateral-Esquerdo: 2013)
Goiás: Hélio dos Anjos (Técnico: 2004, 2005, 2006 e 2013) e Guilherme dos Anjos (Auxiliar: 2013)
Guarani: Édson Silva (Zagueiro: 2009)
Juventude: Bruno Ribeiro (Meia: 2008) e Leandro Lima (Meia: 2016/2017)
Londrina: Del'Amore (Zagueiro: 2017), Marquinhos Santos (Técnico: 2016 e 2017) e Edison Borges (Auxiliar: 2016 e 2017)
Paysandu: Edimar (Zagueiro: 2016 e 2017), Pedro Carmona (Meia: 2017), Cassiano (Atacante: 2015) e Glydiston Ananias (Preparador Físico: 2016 e 2017)
Sampaio Corrêa: Nonato (Volante: 2015/2016), Reginaldo Júnior (Atacante: 2008/2012) e Uilliam (Atacante: 2014/2016)
São Bento: Celsinho (Meia: 2013), Lúcio Flávio (Atacante: 2017) e Ronaldo (Atacante: 2016)
Vila Nova: Moacir (Lateral-Direito: 2016), Heitor (Zagueiro: 2017), Gastón Filgueira (Lateral-Esquerdo: 2017), Wellington Reis (Volante: 2017), Alan Mineiro (Meia: 2018), Elias (Meia: 2015/2016), Hemerson Maria (Técnico: 2016/2017) e Emerson Nunes (Auxiliar: 2016/2017).

Por Luca Laprovitera

quinta-feira, 8 de março de 2018

Domingão, velha pedra no sapato

Postado por Luca Laprovitera às 22:24:00 quinta-feira, 8 de março de 2018
Horizonte e Fortaleza no Domingão.
(Foto: Roberto Leite/GloboEsporte.com)
Antes de começarmos com a matéria, vale lembrar que essa análise não tem nada a ver com o resultado do jogo ou o rendimento da equipe, é apenas um levantamento e uma curiosidade. O Estádio Olímpico Horácio Domingos de Sousa, o famoso Domigão, em Horizonte, foi inaugurado no fim de 2008 e teve em janeiro do ano seguinte sua primeira partida oficial.

O Fortaleza estreou por lá no dia 5 de abril de 2009, pela 9ª rodada do Segundo Turno do Campeonato Cearense daquele ano. O primeiro resultado seria uma amostra do que viria pela frente, o Horizonte sairia na frente com Preto aos 27 minutos, mas aos 34, Wanderley empatou de pênalti (CLIQUE AQUI PARA VER OS GOLS), 1x1 foi o placar da partida.

De lá para cá, o Leão jogou 19 vezes no estádio, entre Campeonato Cearense, Copa Fares Lopes e até mesmo uma partida pela Série B do Campeonato Brasileiro, e apresenta um aproveitamento de 44% jogando no principal estádio de Horizonte. Confira a lista de jogos:

Horizonte 1x1 Fortaleza (Campeonato Cearense 2009)
Fortaleza 2x2 Vila Nova-GO (Campeonato Brasileiro - Série B 2009)
Fortaleza 2x3 Limoeiro (Campeonato Cearense 2010)
Fortaleza 3x2 Ferroviário (Campeonato Cearense 2010)
Horizonte 1x0 Fortaleza (Campeonato Cearense 2010)
Horizonte 0x0 Fortaleza (Campeonato Cearense 2011)
Horizonte 1x1 Fortaleza (Copa Fares Lopes 2011)
Trairiense 3x3 Fortaleza (Campeonato Cearense 2012)
Horizonte 1x0 Fortaleza (Campeonato Cearense 2012)
Horizonte 1x4 Fortaleza (Campeonato Cearense 2012)
Horizonte 1x2 Fortaleza (Campeonato Cearense 2013)
Horizonte 2x2 Fortaleza (Campeonato Cearense 2014)
Horizonte 1x1 Fortaleza (Campeonato Cearense 2014)
Horizonte 1x3 Fortaleza (Campeonato Cearense 2015)
Guarani de Juazeiro 0x1 Fortaleza (Campeonato Cearense 2015)
Horizonte 2x0 Fortaleza (Copa Fares Lopes 2016)
Horizonte 1x0 Fortaleza (Campeonato Cearense 2017)
Horizonte 2x1 Fortaleza (Campeonato Cearense 2018)
Uniclinic 0x1 Fortaleza (Campeonato Cearense 2018)

19 jogos
6 vitórias
7 empates
6 derrotas

27 gols marcados
25 gols sofridos

O Fortaleza jogará novamente no Domingão na próxima quarta-feira (14), às 21:45, para enfrentar o Floresta. Depois de quebrar um jejum de três jogos sem vencer no estádio, uma segunda vitória seguida igualaria os recordes alcançados em 2013 e 2015. 

Por Luca Laprovitera 

quarta-feira, 7 de março de 2018

5 ex-jogadores do Leão que foram para a Copa do Mundo

Postado por Luca Laprovitera às 15:54:00 quarta-feira, 7 de março de 2018

Faltam menos de 100 dias para começar a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Quatro anos depois do nosso país e nossa cidade terem recebido o evento esportivo mais emocionante do mundo, um novo ciclo se passou e a partir do dia 18 de junho, todos os olhos estarão no país do Vitas. 

O Bora Leão não vai ficar fora dessa por nada e vamos postar conteúdo relevante ao Mundial, com curiosidades, guias e muita informação para o torcedor tricolor acompanhar sabendo de tudo. Nem todos os assuntos serão relacionados ao Fortaleza, mas volta ou outra faremos sim, então não se preocupe, nosso foco ainda é o Tricolor de Aço, mas por alguns meses, volta ou outra, vamos comentar sobre uma coisa a mais. 

Para começar, separamos cinco ex-atletas da nossa história que foram para a Copa do Mundo, e na lista tem campeão mundial. Confere aí:

ADO

O goleiro Ado foi revelado em 1984 pelo Londrina, ficou no clube paranaense até o fim de 1968 quando assinou com o Corinthians. No alvinegro paulista foram 205 jogos, cinco temporadas e a convocação para a Copa do Mundo de 1970. Reserva imediato de Felix, Ado foi o camisa 12 e atuou cinco jogos pela Seleção naquele ano, porém nenhum na Copa, onde fez parte do elenco tricampeão do mundo com Rivellino, Pelé, Tostão, Jairzinho e cia. Depois de jogar por América-RJ, Atlético-MG, Portuguesa-SP e Santos-SP, chegou no Fortaleza, em 1979, mas não ficou muito tempo. Ainda jogou por Velo Clube-SP, Ferroviário-CE e Bragantino-SP, onde aposentou em 1982.

BALDOCCHI 

Outro tricampeão no México, em 1970, foi o zagueiro Baldochi. Forte e bastante vigoroso, Baldochi começou no Batatais em 1964, passou as duas temporadas seguintes no Botafogo de Ribeirão Preto, até chegar ao Palmeiras no ano seguinte onde foi campeão de três Campeonatos Brasileiros. Foram 3 jogos pela Seleção, todos em 1970, o suficiente para ser reserva de Piazza e Brito no Mundial. Deixou o Verdão em 1971, indo para o rival Corinthians onde atuou até o início de 1976. Depois de um ano parado com problemas físicos, chegou ao Fortaleza em 1977, mas não teve sorte no Tricolor de Aço e com apenas 29 anos, parou a carreira com uma fratura no pé.

MARINHO CHAGAS
Marinho Chagas contra o Zaire. (Imagem: Getty Images)
Revelado pelo modesto Riachuelo de Natal, em 1967, passou pelo ABC-RN e Náutico-PE até chegar no Botafogo em 1972. Em pouco tempo começou a se destacar e virou titular da Seleção Brasileira no ano seguinte e sendo convocado para a Copa do Mundo de 1974. Foi titular da lateral-esquerda em todas as sete partidas que deram a 4ª posição ao Brasil no mundial. Sua última convocação foi em 1977, jogando 36 partidas e marcando 4 gols pelo escrete brasileiro. Rodou por Fluminense-RJ, New York Cosmos-EUA, Fort Laudardale Strikers-EUA, São Paulo e Bangu-RJ, até chegar no Fortaleza no fim de 1984. Ficou alguns meses no Tricolor, o suficiente para com seu jeito ofensivo conquistar o carinho dos torcedores da época. Saiu para voltar a sua terra natal, indo para o América-RN, encerrou a carreira em 1988, depois de passar pelo Los Angeles Heat-EUA e pelo Harlekin Augsburg-ALE. 

JOSIMAR

Lateral-direito da Copa do Mundo de 1986, Josimar foi responsável por um dos gols mais célebres da história das Copas contra a Irlanda do Norte (Veja o gol aqui). Revelado pelo Botafogo em 1982, começou o mundial como reserva de Édson Boaro, mas ganhou a vaga no terceiro jogo da Fase de Grupos justamente contra a Irlanda do Norte, após uma lesão de Édson. Marcou gol na partida e voltou a marcar contra a Polônia nas Oitavas, atuando também contra a França, fazendo 2 gols em 3 partidas na Copa, atuando até 1989, 16 vezes pelo Brasil. Nesse mesmo ano saiu para o Sevilla-ESP onde começou a decair, retornando no mesmo ano para o Flamengo, passando por Inter-RS, Novo Hamburgo-RS e Bangu-RJ, até chegar no Fortaleza em 1991. Pouco fez no Tricolor de Aço e no ano seguinte foi para o Jorge Wilstermann da Bolívia, passou ainda por Fast Club-AM e pelo Mineros da Venezuela, onde aposentou em 1996.

AIRTON

Pera lá, esse cara é árbitro? Isso mesmo, o juiz Airton Vieira de Moraes, foi o representante brasileiro no arbitragem da Copa do Mundo de 1970, no México. Apitou Itália 0x0 Israel, pela 3ª rodada da Fase de Grupos, mas e pelo Fortaleza? Airton antes de virar árbitro, em 1953, foi jogador de futebol. Cearense, natural de Fortaleza, atuou pelo aspirantes do Maguary até chegar no Fortaleza em 1946. Lateral-esquerdo, foi bi-campeão cearense em 1946 e 1947, e foi titular na campanha do título nordestino em 1946. Deixou o Leão no fim da década para fazer testes no Fluminense-RJ, acabou abandonando o tricolor carioca e passou por América, Bonsucesso, Madureira e Olaria, todos do Rio, até deixar a vida de jogador em 1952. Airton é até hoje o único cearense a atuar em uma Copa do Mundo. 

Por Luca Laprovitera 

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Quem são os maiores artilheiros do século 21?

Postado por Luca Laprovitera às 18:59:00 quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Depois de 9 jogos na temporada, o Fortaleza terá no mínimo 43 partidas para cumprir até o fim de 2018, podendo chegar a 47 caso chegue na final do Campeonato Cearense, ou até mais se disputar a Copa Fares Lopes. Com oito jogos disputados, o centroavante Gustavo lidera a artilharia com 9 gols, sendo o segundo melhor marcador do país no ano, atrás apenas de Mattheus ex-ABC/RN e hoje no Corinthians/SP que marcou 10 gols.

Desde 2001, doze jogadores foram os principais artilheiros do Fortaleza em uma temporada, sendo Rinaldo o que mais marcou em um só ano com 35 gols, em 2006, e Guto o artilheiro com menor número de gols, marcando 7 vezes, em 2011. As contas foram feitas em jogos de Campeonato Brasileiro, das Séries A, B e C, Campeonato Cearense, Taça dos Campeões Cearenses, Copa Fares Lopes, Copa do Nordeste e Copa do Brasil. 

Confira a lista:
2017 - Lúcio Flávio: 13 gols
2016 - Anselmo - 23 gols
2015 - Maranhão - 10 gols
2014 - Robert - 30 gols
2013 - Assisinho - 25 gols
2012 - Geraldo - 15 gols
2011 - Guto - 7 gols
2010 - Tatu - 16 gols
2009 - Marcelo Nicácio - 33 gols
2008 - Paulo Isidoro - 23 gols
2007 - Rinaldo - 23 gols
2006 - Rinaldo - 35 gols
2005 - Rinaldo - 16 gols
2004 - Rinaldo - 25 gols
2003 - Clodoaldo - 21 gols
2002 - Clodoaldo - 28 gols
2001 - Clodoaldo - 28 gols

Por Luca Laprovitera 

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Tricolores no Mundial de Clubes

Postado por Luca Laprovitera às 13:31:00 quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Começa logo mais às 14 horas, a 14ª edição do Mundial de Clubes organizado pela FIFA. A sede desse ano é o Emirados Árabes Unidos e o jogo de abertura será entre o Auckland City da Nova Zelândia, campeão da OFC (Oceania) e o Al-Jazira, campeão nacional do país sede. 

Além dessas equipes, o Urawa Red Diamonds do Japão campeão da AFC (Ásia), o Pachuca do México campeão da CONCACAF (Américas Central, do Norte e Caribe) e o Wydad Casablanca do Marrocos campeão da CAF (África) entram nas quartas-de-final. Nas semifinais entram o espanhol Real Madrid campeão da UEFA Champions League (Europa) e o brasileiro Grêmio campeão da Copa Libertadores, time do cearense e atleta da base do Fortaleza, Everton Cebola. 

Para o torcedor do Tricolor o que tem a ver? Além de ser sempre legal falar e ver futebol, junto com a escassez de pautas nessa época do ano (hehehe), resolvemos trazer uma lista de jogadores que passaram pelo Fortaleza e jogaram o Mundial de Clubes. Tem nome que o torcedor talvez nem lembre, vamos lá?

-Bosco, Flávio Kretzer e Richarlyson (2005)

Começamos com três campeões mundiais. Os goleiros Bosco e Flávio Kretzer, e o volante Richarlyson conquistaram a taça em 2005 com o São Paulo. Apesar que nenhum dos três entrou em campo, estavam no elenco do tri-mundial são-paulino junto com o atual técnico do Leão, o ex-goleiro Rogério Ceni que marcou um gol na semifinal contra o Al Ittihad da Arábia Saudita e foi eleito o melhor campo contra o Liverpool na final. 

Bosco fez história no Leão, jogou 60 partidas entre 2004 e 2005, foi campeão cearense em 2005 e conquistou o acesso à Série A no ano anterior, saiu do Fortaleza no fim da temporada para conquistar justamente o Mundial com a camisa 22. Flávio Kretzer era o terceiro goleiro e camisa 23, chegou no Fortaleza em 2013. entrou em campo 7 vezes entre Campeonato Cearense e Série C. Já Richarlyson atuou no Tricolor de Aço em 2003, o camisa 20 do título da equipe paulista, fez 16 jogos e marcou 1 gol com o Fortaleza na época, jogando a Série  A do Brasileiro.

-Marcelo Boeck e Zé Carlos (2006)

Vamos começar 2006 com outro campeão do mundo. Atual goleiro do Leão, Marcelo Boeck era o terceiro goleiro da maior conquista da história do Internacional-RS. Camisa 22 na conquista, tinha a idade de sua camisa. Hoje ídolo do Fortaleza, Boeck atuou em 44 partidas nessa temporada, conquistando a Taça dos Campeões Cearenses e o acesso à Série B.

O outro teve rápida passagem pelo Pici, atuou o Mundial pelo Jeonbuk Hyundai da Coréia do Sul. Na época camisa 15 e conhecido apenas como Zé Carlo, o centroavante Zé Carlos, ou Zé do Gol, passou em branco na estreia contra o América do México perdida por 1x0 nas quartas-de-final. Porém, na decisão de 5º lugar marcou o último gol da sua equipe, batendo pênalti aos 28 minutos do 2º tempo e fazendo 3x0 sobre o Auckland City, da Nova Zelândia.

-Adriano Pimenta (2008), Vladimir (2011) e Rosinei (2013)

Adriano Pimenta teve rápida passagem pelo Fortaleza em 2011. Foram apenas 10 partidas entre Campeonato Cearense e Copa do Brasil, marcando dois gols. Três anos antes jogou o Mundial de Clubes pelo modesto Waitakere United da Nova Zelândia. Camisa 29, Pimenta entrou aos 30 minutos do 2º tempo na única partida da equipe no Mundial, a derrota por 1x0 para o Adelaide United da Austrália nos playoffs para as quartas-de-final.

O goleiro Vladimir sequer atuou pelo Fortaleza, foi emprestado pelo Santos em 2009, ficando no clube durante a Série B. Dois anos depois era o terceiro goleiro, reserva de Rafael Cabral e do imediato Aranha no alvinegro praiano. Camisa 23, Vladimir viu seu time passar tranquilamente do Kashima Reysol na semifinal e acompanhou o massacre do Barcelona na grande final.

Rosinei jogou no Fortaleza em 2016, indicado pelo então treinador Marquinhos Santos. No Leão foram 8 jogos entre Copa do Brasil e Série C, e 1 gol. Em 2013 foi ao Mundial pelo Atlético Mineiro e com a camisa 88 ficou no banco nas duas partidas do Galo Mineiro contra o Raja Casablanca do Marrocos na semifinal e do Guangzhou Evergrande da China na decisão do 3º lugar.

-Derley (2010)

Recém-contratado pelo Fortaleza, o volante Derley foi ao Mundial de 2010 quando havia acabado de subir ao profissional do Internacional-RS. Camisa 12, Derley não entrou em campo nas partidas contra o Mazembe do Congo na semifinal e nem contra o Seongnam da Coréia do Sul na decisão do 3º lugar, mas pelo menos tem essa foto legal sorrindo atrás da bola antes de conhecer o goleiro Kidiaba e a sua dancinha exótica em comemoração de gols. 

-Bônus: Éverton (2017)

Mesmo sem jamais ter jogado no profissional do Fortaleza, o atacante Éverton do Grêmio é cria da casa. Foi entre 2009 e 2012 atleta das categorias de base do Leão do Pici. Em 2014 já era profissional do Tricolor gaúcho onde já atuou em 150 partidas, marcando 26 gols e sendo campeão da Copa do Brasil 2016 e da Copa Libertadores da América 2017. Será o primeiro atleta que passou pelas bases do Fortaleza a jogar um Mundial de Clubes da FIFA.

Por Luca Laprovitera
Facebook
Twitter
Instagram
Youtube

terça-feira, 5 de julho de 2016

Edimar: Experiência na Copa do Brasil será fundamental para o Fortaleza

Postado por Bora Leão às 20:22:00 terça-feira, 5 de julho de 2016
Foto: Divulgação/Flamengo
O Fortaleza reassumiu a liderança do grupo A da Série C. Fazendo valer o fator casa, o tricolor de aço bateu o ASA no confronto dos líderes por 2×1 e chegou aos 14 pontos

domingo, 20 de março de 2016

Conheça o Fortaleza Fútbol, o homônimo colombiano

Postado por Luca Laprovitera às 19:37:00 domingo, 20 de março de 2016

Sim, existe um outro Fortaleza no mundo. É o Fortaleza C.E.I.F Fútbol Club, da capital da Colômbia, Bogotá. Fundado no dia 15 de Novembro de 2010, a equipe se chamava Atlético Juventud Fútbol Club e foi comprada por Ricardo Pérez, um ex-jogador que passagens por tradicionais clubes do país como América de Cali e Millionários e o empresário Víctor López. A equipe levou o nome do clube "La Fortaleza de Bogotá", uma espécie de boate/buffet tradicional da capital colombiana que era gerido por López.

A estreia da equipe veio em 2011 ficando na 11ª posição geral. Em 2012, parecia que a equipe não empolgaria, ficou apenas na 13ª posição entre 18 equipes. Foi a partir de 2013 que o destino mudou, Depois de ficar apenas em 15º no Apertura, o Fortaleza garantiu o título do Clausura após vencer o Rionegro por 3x1 nos pênaltis, depois de dois empates em 0x0 e conseguiu o acesso a Categoria A (Primeira Divisão Colombiana).

Mas com pouca força financeira e experiência, a equipe não resistiu e foi rebaixada logo na primeira temporada. Em 2015, comandados por Edis Ibargüen, a equipe conquistou novo acesso ao chegar a grande final contra o Atlético Bucaramanga, mas sendo apenas vice-campeão. Atualmente está em 14º lugar no Torneo Apertura, cinco pontos atrás e dois jogos a menos que o Cortuluá, 8º lugar e primeiro classificado para a Segunda Fase.

Antes, o Fortaleza usava esse símbolo com as cores do nosso rival aqui em terras alencarinas. Com o novo acesso, a equipe resolveu mudar de cores, adotou o vermelho, azul e branco do irmão brasileiro e esperamos que dê melhor sorte.

Uniforme vermelho de 2016 


Por Luca Laprovitera
Twitter: @luca laprovitera   
Google+: +Luca Laprovitera 
Facebook: https://www.facebook.com/lucalaprovitera/